Torres del Paine

Fala Viageiros!!!!!

 

Voltei de uma viagem sensacional para a Patagônia e vou compartilhar aqui com vocês um pouco dessa experiência!

 

Mas antes, quem puder, segue no Instagram: @profissaoviageiro

 

Bom, hoje além de passar minhas impressões de Torres del Paine, vou tentar deixar algumas informações básicas para quem quer ir e ainda está cheio de dúvida, como eu estava quando ainda planejava a viagem.

Tem coisa que parece óbvia quando se conta de uma viagem para as outras pessoas, mas que no fundo se você não sabe o funcionamento das coisas no lugar, fica impossível saber se seu roteiro vai dar certo ou não… E foi nisso que eu esbarrei na montagem do roteiro.

Como sempre em meus roteiros, eu tenho pouquíssima margem de erro e isso me fez perder um bom tempo na pesquisa. Vou tentar deixar algumas informações aqui para quem quer visitar esse lugar maravilhoso!

 

Vamos lá!

 

– O que é?

O Parque Nacional de Torres del Paine foi criado em Maio de 1959 e está localizado na Pataônia Chilena, na região de Magallanes.

As suas torres principais dão nome ao parque, que são imensas torres de granito modeladas pelo gelo glacial.

Mas as belezas do parque não se resumem a suas torres. O lugar inteiro é sensacional!

 

– Como chegar?

Existem dois aeroportos próximos de Torres del Paine:

– Um fica em Puerto Natales, que é a cidade base para a maioria das pessoas que visitam Torres del Paine. A cidade está localizada a 80km do Parque.

O problema é que só existem voos para Puerto Natales no verão, e mesmo assim não é todo dia.

Isso faz com que contar com um voo para lá seja praticamente descartado logo de cara.

 

– A melhor opção então é voar para Punta Arenas.

Existem voos regulares de Santiago para Punta Arenas.

Inclusive, se não me engano, lá é destino mais barato para se chegar na Patagônia (Argentina ou Chilena)

Eu fiz isso. Saí de São Paulo em um voo com conexão em Santigo e chegada em Punta Arenas. Tudo bem tranquilo!

 

-Para quem não for utilizar avião, tenha Puerto Natales como sua referencia de destino.

 

 

Onde ficar?

– Punta Arenas:

A porta de entrada da maioria das pessoas que vão para TdP via o próprio Chile (Muitas outras pessoas vão para TdP via El Calafate, na Argentina)

Cidade grande, com vida própria. Possui muitas atrações turísticas, shoppings, hotéis, hostels, restaurantes e tudo mais.

Fica a 3 horas de ônibus de Puerto Natales.

 

– Puerto Natales:

Cidade pequena que gira em torno do turismo de TdP.

Muitos turistas o ano inteiro por lá, consequentemente muitos restaurantes e vendinhas para as compras da galera que vai fazer os trekings.

Como já falei é a base para a maioria das pessoas, pela sua proximidade e preços acessíveis. Comparado às hospedagens dentro ou ao lado do parque é muito mais barato ficar em Puerto Natales.

 

– Hospedagens dentro do Parque:

Existem muitas opções de hospedagem dentro do Parque, desde áreas de camping onde você é responsável por ter com você absolutamente tudo que vai usar e comer, até luxuosos hotéis com vistas deslumbrantes.

Tudo dentro do parque é caro. Transporte, hospedagem, comida… Tudo!

São três “empresas” que possuem hospedagens dentro do parque, e para dormir lá dentro você precisa ter reservado antes de chegar (mesmo que esteja levando todo equipamento com você e queira apenas reservar um espaço de camping), pois não se pode entrar sem reserva prévia. As empresas são:

CONAF;

Fantástico Sur; e

Vertice.

 

 

Quando ir?

Torres del Paine pode ser visitado o ano inteiro, mas a alta temporada é no verão, quando as temperaturas estão mais agradáveis e as paisagens mais coloridas.

Eu fui na primavera. Dei muita sorte com o tempo e achei que valeu muito a pena. Não estava lotado e não passei nenhum perrengue de frio ou vento a ponto de transformar algum rolê em algo penoso.

Se tem alguma coisa que eu mudaria no meu rolê para deixar ele ainda mais perfeito, é que eu preferia ter visto o lago no Mirador Base de Torres del Paine descongelado. Quando eu fui ainda estava congelado. Não que eu ache isso um problema, mas acho que descongelado seria muito lindo também.

 

Quanto custa?

Caro!    Hahaha!

Não é um passeio barato. Mesmo fugindo o máximo que pude das hospedagens dentro do parque, é um passeio caro. Mas não é nada que não se possa dar um jeito.

Aqui alguns exemplos de preços aproximados:

– Entrada no Parque, válida por 3 dias de entrada: US$ 35,00 (se já estiver dentro do parque, não tem problema, pode ficar mais que 3 dias)

– Aluguel de barraca completa no parque: US$ 70 – para 2 pessoas, por noite

– Catamarã para Paine Grande: US$ 35,00 por pessoa, por trecho (Comprando ida e volta junto fica um pouquinho mais barato). IMPORTANTE: Não aceita cartão! Só dinheiro.

– Ônibus interno do Parque: US$ 10,00 ida e volta

– Ônibus Puerto Natales – Torress del Paine: US$ 25,00 ida e volta

 

E por aí, vai…

 

O que fazer??? Bate e volta, Circuito W, ou Circuito O?

Eu escolhi o W!

 

– No circuito W estão as principais atrações do parque na minha opinião.

Claro que quem faz o Circuito O vê muito mais coisa, mas para isso é necessário muito mais tempo e preparo, pois as partes do parque que estão fora do W, são bem menos estruturadas, então depende muito mais de você e do equipamento e mantimento que você carrega.

 

– No bate e volta de Puerto Natales, você consegue fazer o Mirador Base, que é a vista mais famosa de lá, mas depois que se faz o W, você vê que aquilo é só um pequeno pedaço das belezas daquele lugar.

Também dá para fazer o lado do Glaciar Grey, ou até um trecho da trilha beirando o lindíssimo Lago Nordenskjold.

IMPORTANTE!

Nesses casos de bate e volta, você sempre vai ter seu tempo limitado ao horário dos transportes internos do parque, seja do ônibus ou do catamarã. Então controlar o tempo e seus objetivos no dia será algo muito importante. Os horários são fixos e limitados, não deixando margem para erros.

 

 

– Uma outra opção, que eu jamais faria, é um bate e volta de El Calafate, como muitas agências de lá oferecem… Me parece um grande programa de índio.

 

– Fazer um mix disso tudo aí também é possível! É só estudar direitinho o roteiro e partir para cima!!!!

 

 

Bom, esse é o básico. Vou contando agora como foi o meu rolê e tentando explicar como tudo funcionou para mim!

 

Vamos lá!!!!!!!!

 

Dia 1:

Bom, eu decidi fazer o W da seguinte forma… Fazer as 2 pernas externas no esquema de bate e volta, e a parte central do W dormindo uma noite no camping Francês.

Dessa forma faria o rolê em 4 dias, que é bem puxado. A maioria das pessoas faz em 5 dias o W, que depois eu entendi o por quê!

Como a entrada do parque vale por 3 dias, eu fiz as 2 pontas primeiro, e depois a parte interna, que daria certinho os 3 dias de entrada no parque.

Para mim não fazia diferença por onde começar, então deixei o dia que a previsão do tempo estava melhor para fazer o Mirador Base e fui no primeiro dia, que o tempo estava pior, na perna do Glaciar Grey.

E a parte interna eu fiz saindo de Las Torres e chegando no outro dia em Paine Grande.

No final, deu tudo certo!!!!

 

Como comentei, eu cheguei em Puerto Natales vindo de Punta Arenas. Como não sabia da estrutura da cidade, acabei fazendo compras do que iria comer no parque no dia seguinte em Punta Arenas mesmo.

A viagem de ônibus entre Punta Arenas e Puerto Natales demora 3 horas. A passagem é bem fácil comprar. Os ônibus que fazem esse trajeto têm seus terminais no centro da cidade e todo mundo lá sabe indicar onde ficam esses terminais. Existem diversos horários de saída, então não precisa de stress quanto a reserva antecipada ou qualquer coisa.

 

Em Puerto Natales as coisas são perto da rodoviária. A maioria dos lugares nem precisa de taxi… Dá para chegar andando.

Já aproveitei que estava na rodoviária na chegada e comprei a passagem de ônibus para o dia seguinte de ida e volta para o parque.

São algumas empresas que fazem o trajeto e todas fazem mais ou menos no mesmo horário, pois os transportes internos no parque são sincronizados com as chegadas dos ônibus de Puerto Natales.

O horário de saída é por volta das 7 da manhã e o retorno por volta das 7:30 da noite saindo da Laguna Amarga (entrada do parque). São quase 3 horas de trajeto entre o parque e Puerto Natales.

 

No dia seguinte estava lá bem cedinho na rodoviária aguardando meu ônibus sair.

 

Chegando em Torres del Paine, a primeira coisa a se fazer é comprar o ticket de entrada. Havia uma pequena fila mas não demorou muito todo o tramite. Eles aceitam Pesos Chilenos e Dólares. Talvez aceitem Euros também, mas não tenho certeza.

 

Depois é aguardar o ônibus interno que vai te levar para o Refúgio Las Torres (De onde sai a trilha para o Mirador Base e também a trilha em direção ao Refúgio Francês) e depois segue para Pudeto, de onde sai o Catamarã para Paine Grande (Onde começa a trilha para o Glaciar Grey).

 

Como fui em direção ao Glaciar Grey nesse primeiro dia, segui no ônibus até Pudeto. Cheguei lá por volta das 10:30 e o catamarã só sai as 11hs.

Assim aproveitei e tomei um reforço do café da manhã por lá enquanto aguardava a saída para Paine Grande.

 

O catamarã é espaçoso e possui um deck em cima para quem quer ver a paisagem e tirar umas fotos. Duro é aguentar o frio, mas vale a pena!

 

O trajeto é curto e em pouco mais de 20 minutos já estava em Paine Grande

 

Muitas pessoas se hospedam no refugio, então já entram para seu check in. Eu não ia ficar lá, então só me arrumei, usei o banheiro e saí.

 

Primeiro grande desafio da viagem: Aprender a usar os sticks de caminhada!

 

Eu sei que parece ridículo, mas no começo é difícil coordenar! Mas depois de alguns minutos, vai que vai!

Não sei como eu consegui voltar a andar sem eles quando voltei de viagem! Esse treco é bom demais!!!!!

 

Bom, foi nesse primeiro dia que eu entendi por que a maioria das pessoas faz o W em 5 dias e não em 4… É porque o refúgio Grey é longe que dói!

Eu tinha o meu tempo de trekking limitado pelo horário do catamarã. Não podia estar de volta depois das 18:30hs, que é o último horário de saída do catamarã no dia.

As pessoas normalmente dormem no refúgio Grey e depois voltam no dia seguinte. Ou também vão até o refugio Grey e voltam para dormir em Paine Grande, sem grandes compromissos com o horário. Aí tudo faz mais sentido.

No meu caso eu tive que ir até onde o relógio permitiu, e não consegui chegar até o refugio. Mas isso não tem muita importância… Pude apreciar a beleza do glaciar durante minha trilha sem nenhum problema!

 

A trilha desse trecho não foi das piores do W. Existem outras partes com muito mais subidas e descidas. Isso foi bom, pois estava ainda aquecendo os motores!

Eu que já tenho dois joelhos completamente destruídos, que me impedem de fazer algumas coisas, estava, para piorar, vindo de uma lesão no ligamento. Consequentemente minha condição física não era das melhores, vindo de um período de um mês sem poder exercitar minhas pernas.

 

Bora caminhar!!!!

 

A primeira parada, já para o almoço, foi na Laguna Los Patos.

Uma lagoa bonita, que apesar do nome, não tinha tantos patos assim quando passei por lá!

 

Sigo então em direção ao glaciar, tentando aproveitar o máximo essa paisagem linda!

 

Daí a recompensa… O Glaciar Grey!!!

Encontro um lugar para parar e apreciar essa vista!

 

Depois de um tempo por lá o relógio me lembra que era preciso voltar, sem grandes possibilidades de paradas.

 

A volta foi bem tranquila e cheguei a tempo inclusive de fazer um lanche e tirar umas fotos antes de embarcar

 

Na fila do embarque percebo esse cara indo para um mergulho bem tranquilo nesse lago de degelo!!!

Um mergulho com uma vista dessa não é nada mal!!!!

 

Daí foram só mais uns 30 minutos de catamarã até Pudeto e já o imediato embarque no ônibus para Laguna Amarga.

 

Dalí peguei o ônibus de volta para Puerto Natales.

Chegando em Puerto Natales, foi só o tempo de passar em uma vendinha para comprar os mantimentos para o dia seguinte e correr para tomar banho, comer e dormir, pois sobram poucas horas de sono para quem tem que pegar o ônibus no outro dia as 7 da manhã!!!

 

 

Dia 2

E lá vamos nós!!!! Acorda de madrugada, toma banho, toma café, corre para a rodoviária e tenta descansar um pouco no ônibus no caminho…

No parque foi só mostrar que já tinha o ingresso e aguardar pela saída do ônibus para Las Torres.

Lá em Las Torres se faz um breve registro de entrada para controle e já pode sair para a caminhada.

 

Esse dia era o primeiro grande desafio. São 20km ida e volta, com muita montanha, incluindo um trecho matador no último quilômetro que faz você pensar seriamente que não vai conseguir!

Mas consegue!!!!

A caminhada começa com 2km bem tranquilos e planos ainda em uma área dentro do complexo de Las Torres.

Depois…… Bom, depois é bom estar com a saúde em dia, porque não é fácil a brincadeira.

 

O que sempre te dá forças em um lugar como esse são as paisagens… Elas vão nos lembrando por que estamos lá!!!!

Vale cada gota de suor!

 

E vai subindo…

Subindo…

Subindo mais…

 

Até que chega no Km 9 e eu já estou esgotado, com muita dor e cansaço.

E aí o negócio começa a ficar sério. A subida é bem no limite entre caminhar e escalar, inclusive passando pelo espaço onde a água do degelo desce, para ajudar ainda!

Pelo menos quando dava sede era só abaixar e beber água!

 

Eu acho que eu bobeei… Acho que tem um lugar para deixar o peso extra ali no km 9 antes de começar a subida. Eu não fui atrás disso e acabei subindo com tudo nas costas… Foi treta!

 

Como eu não tinha forças nem para tirar foto, tenho poucos registros desse dia. Uma pena, porque o lugar é maravilhoso.

 

Essa subida é terrível, e quando se acha que acabou você descobre que ainda falta um tanto! Todos os lugares por lá são assim… Você acha que chegou no final, mas não chegou!!!!

Para de reclamar e continua andando!!!!!

Realmente nem acreditei quando cheguei lá!!!!

 

Mas o visual vale qualquer esforço!!!

 

Infelizmente cheguei lá 15 minutos depois do horário que tinha que iniciar a descida! Isso limitou muito o quanto eu pude aproveitar lá em cima.

Foi o tempo de comer alguma coisa, tirar meia dúzia de fotos e sair desesperado para baixo, quase com a certeza que não daria tempo.

 

Isso foi a pior parte do rolê… Não consegui aproveitar quase nada a descida, forcei meus joelhos de um jeito que não poderia ter forçado e fiquei horas no stress de não ter ideia do que iria fazer se perdesse o transporte.

 

Não sei explicar como, arrumei forças não sei da onde para sair em uma disparada nos últimos 2 quilómetros para tentar chegar no ônibus…

E não é que consegui!!!!!!! O pessoal já estava quase todo embarcado! Aí pedi para o motorista para esperar uns 2 minutos até a Tati chegar e ele falou que beleza!

 

Nossa, foi por pouco!

Eu sentia tanta dor no meu corpo depois disso que nem sei explicar… Doía pé, tornozelo e principalmente meus joelhos… Achei que tinha comprometido todo o rolê…

 

Chegando em Puerto Natales foi só a correria para deitar logo, depois do mercadinho, banho e janta.

 

 

Dia 3

Esse dia tinha a ideia que seria mais tranquilo, pois além da distancia a se caminhar ser menor, não precisava me preocupar com horário, pois poderia chegar a qualquer hora no Camping Francês.

Mas eu me enganei… Foi mais um dia puxado que no final minhas pernas já estavam esgotadas.

 

Já no refugio Las Torres, comecei a caminhar para o Acampamento Francês. O inicio é tranquilo e ainda estava com a sensação que seria um dia de recuperação, e não de grandes esforços.

Começo a encontrar alguns morros, mas nada de mais… A caminhada ainda está sob controle.

 

Passados alguns quilômetros eu encontro um novo caso de amor!!!!!

Se trata do Lago Nordenskjöld!

Que visual maravilhoso! Andar com esse lago ao seu lado o dia inteiro foi lindo demais!

 

As paradas para comer sempre eram em pontos estratégicos para comer apreciando aquele azul espetacular!

 

O problema é que esse trecho tem muita montanha, subindo e descendo toda hora… Eu fui me cansando e já ficava perguntando pra galera que cruzava no caminho se estava muito longe ainda!

Isso é claramente sinal de desespero!!!!

       

E então já no final do dia chego no Acampamento Francês!

O acampamento é bem bacana. O banheiro é bom e a água para tomar banho bem quente! Isso foi maravilhoso!

Lá eles também têm um pequeno restaurante e uma “vendinha” que você pode comprar um refrigerante, por exemplo.

Na recepção do camping eles tinham ovos para vender. Não estava tão caro. O problema é que eu não tinha onde cozinhar os ovos, pois não estava carregando um fogareiro comigo. A menina que estava lá foi bem gente boa e ofereceu de cozinhar os ovos para nós no fogareiro dela! Então já fechei negócio e consegui comer algo quente nessa noite, que estava programado apenas comida fria.

Então depois de um ótimo banho já fui jantar meu sanduiche, ovos e um vinho que estava carregando para saborear na noite!

A barraca estava montada. Não tive trabalho nenhum. É chegar, pular para dentro do saco de dormir e até amanhã!!!!!

 

Dia 4

Depois de uma boa noite de sono que não passei nenhum tipo de problema na barraca, me preparei para partir.

Nesse dia os objetivos eram Mirador Francês, Mirador Britânico e a chegada em Paine Grande para tomar o catamarã de volta no final da tarde.

Então tomei meu ziriguidum e pé na estrada!

 

Até o acampamento Italiano o caminho é curto mas já com algumas subidas chatinhas.

No acampamento Italiano você pode deixar seu equipamento para fazer a subida para o Mirador Francês e Britânico só com o necessário.

A subida até o Mirador Francês é de um nível médio… Dá para ir na boa.

Acabei me perdendo um pouco no caminho… Ainda bem que olhei para trás e vi umas pessoas passando por outro lugar. Percebi que o errado era eu e voltei para a trilha certa!

Lá é um lugar bem interessante. Existe uma geleira com pequenas avalanches a cada 10, 15 minutos…

É muito legal ficar um tempo por lá vendo as avalanches e principalmente escutando os estrondos do gelo se rompendo. É um barulho de trovão bem alto! Muito bacana!

 

 

Fiquei lá um tempo, fiz meu lanche e olhei para o caminho do mirador Britânico…………

Que caminho????

O tempo fechou e não dava para ver nada lá para cima…..

Então após algumas considerações decidi desistir de ir até o mirador Britânico. Ainda faltava uma boa pernada até lá e eu não queria gastar esse tempo e essa energia para ir até um mirador de onde não haveria nada para “mirar”.

Bom, com isso pude desfrutar mais algum tempo no mirador Francês e fazer meu caminho de volta sem stress por conta do horário do catamarã.

 

De volta ao acampamento Italiano não estava muito bem… Não sei bem o que era, mas preferi ficar por lá um tempo até me recuperar.

 

Daí peguei minhas coisas e segui…

O caminho a partir de lá é bem mais tranquilo. Não me lembro de ter nenhuma montanha bizarra para subir e descer depois de lá. Isso foi ótimo… Já estava cansado!

Calafate

Um dos pontos altos desse trecho da caminhada é o Lago Skottsberg! O mirador do lago tem uma vista que chega a ser indecente!

 

Depois dessa parada, já estamos quase lá!

É um trecho cheio de emoções boas! De que consegui cumprir o objetivo… De que vou completar o W!

Isso parecia tão longe na minha vida há 6 meses atrás….

Pensar em cada pedra, cada montanha, cada arbusto, cada pássaro, cada lago, cada pessoa que cruzei, cada parte do meu corpo que doía, cada gole de água de cachoeiras de degelo, e cada sentimento delicioso de conquista com o visual que se abria na minha frente por tantas e tantas vezes nesses dias……..

Foi bom demais!

 

Então a última parada antes da chegada triunfante!

Dessa vez para admirar o Lago Pehoé, a poucos metros de chegar em Paine Grande.

Não tem lugar melhor para comemorar a vitória!!!!!!

 

E então a chegada!

Exausto;

Com dor;

Realizado!!!

Consegui, porra!!!!!!

 

Daí foi o roteiro já conhecido…

Catamarã de Paine Grande para Pudeto, ônibus interno de Pudeto para Laguna Amarga (com parada em Las Torres), ônibus para Puerto Natales, pousada e cama!

Hora de descansar, mas não muito, porque no dia seguinte embarcaria para El Chaltén pela manhã.

Mas essa história fica para depois!

 

É isso!!!! Quem quiser qualquer ajuda, pode escrever aqui que vou ajudar com todo prazer no que for possível!

Críticas e elogios também são bem vindos!!!!!

 

Não esqueçam de seguir lá no Instagram!

@profissaoviageiro

 

Valeu!!!!!!!!!!!!!

 

Abraço,

 

Felipe

 

Galápagos

Olá amigos viageiros!

Aqui vai um breve relato da viagem que fiz sozinho para Galápagos agora em Fevereiro de 2018.

Qualquer dúvida é só mandar!

 

Então……

As coisas mudam tão rápido na vida…

Essa viagem não foi na data que planejei inicialmente, não foi do jeito que planejei inicialmente e nem rolou todas as coisas que sonhei no princípio, mas no final das contas fiz uma ótima viagem para Galápagos e voltei cheio de recordações incríveis!

 

Foram 8 dias em Galápagos, incluindo os de chegada e saída. Foi correria, principalmente porque conheci as 3 principais ilhas: Santa Cruz, San Cristóbal e Isabela.

 

Fiz tudo da forma mais econômica possível, sem deixar de fazer nada que queria.

 

E assim foi:

 

18/02/2018 – Santa Cruz

Cheguei no aeroporto de Santa Cruz que fica na Isla Baltra ao meio dia, depois de um voo de SP para Lima, Lima para Quito, Quito para Guayaquil e Guayaquil para Baltra. Estava meio cansado!

 

A essa altura já tinha pagado US$ 20,00 em Quito para pegar um formulário de entrada em Galápagos.

Quando chega, já mostra esse formulário e paga mais US$ 50,00 para entrar.

Então antes de ver um passarinho sequer, já se vão US$ 70!!!!

20180218_125014

20180218_130649

20180218_130805

 

Fiz então o caminho da boiada… Primeiro o cachorro do policial cheira algumas malas, dá o seu ok e vamos todos para fora do aeroporto. Quem não tem esquema já arranjado, precisa pegar um ônibus de graça até a travessia entre as ilhas Baltra e Santa Cruz. Faz a travessia de balsa por US$ 1,00 se não me engano e depois pega um ônibus até Puerto Ayora por US$ 2,00 (acho) em uma viagem de quase 1 hora.

Quem quiser pegar um taxi, existem muitas opções lá também. São sempre caminhonetes e se pode compartilhar com outras pessoas, mas se forem turmas diferentes, cada um paga a tarifa cheia e o cara deixa cada um em seu destino.

 

Chegando no terminal de ônibus, existem alguns taxistas lá esperando. Como eu não tinha reservado hotel, fiquei vendo a movimentação da galera… Mas foi tudo muito rápido… Cada um já se pirulitou para dentro dos taxis com os nomes dos hotéis que estavam indo e em menos de um minuto já não havia mais taxis lá.

Nesse momento dei a maior sorte que poderia ter dado nessa viagem. Conheci o César, que estava lá oferecendo o seu hotel para os passageiros que chegavam.

Só tinha ele lá e meio que sem opções aceitei ir com ele conhecer seu hostel. Ele foi muito simpático e disse que se não gostasse ele me deixaria no centro para eu procurar outro lugar.

Bom, cheguei lá e o lugar era muito bom além de que o César e a Alexandra, que eram os donos, eram sensacionais. Negociei uma suíte com TV e ar condicionado por US$ 25 por dia.

Disse que tinha dado sorte, porque o César me ajudou com absolutamente tudo na viagem e economizei uma grana com isso, sem contar que dava tudo certo, pois ele sabia os esquemas! Eles foram muito legais comigo, nem acreditei a sorte que dei!!!!

Deixo aqui os contatos do Cezar, que recomendo muito!

 

Nesse dia eu tentei organizar com eles tudo que queria fazer, descobri que tinha coisas lotadas que não conseguiria fazer (como Isla Bartolomé, por exemplo), e depois saí para o único rolê que dava tempo no dia: Las Grietas e Playa de los Alemanes.

Peguei uma carona com o Cezar até os restaurantes baratos que ele me indicou para comer alguma coisa e depois fui para o píer. Peguei um aquataxi por US$ 0,80 e caminhei até Las Grietas, passando pela Playa de los Alemanes.

Tinha um pessoal lá, mas sem muvuca. Me joguei na água fria e fui até onde dava no fim da formação rochosa.

20180218_155643

IMG_7099

IMG_7104

IMG_7110

 

Já na volta parei na praia Los Alemanes para curtir um pouco.

DSC_0019

DSC_0020

DSC_0023

DSC06494

DSC06496

DSC_0025

20180218_180830

20180218_180933

 

De noite voltei para a rua dos restaurantes para jantar.

20180218_195629

Comi todos os dias aqui. Pagava US$ 5,00 em uma refeição com sopa de entrada, um prato principal e um suco. Ótimo custo/benefício!

20180218_201121

 

 

19/02/2018 – Santa Cruz

 

Nesse dia pela manhã o Cezar me deixou em um lugar para tomar o típico café da manhã de Galápagos: Um Bolón com carne e ovo frito!

20180219_092704

20180219_093610

 

Daí peguei um taxi até a entrada da trilha para Tortuga Bay. É uma bela caminhadinha até chegar na praia…

DSC_0027

DSC_0028

DSC_0029

DSC_0030

DSC_0031

DSC_0032

Quando chega, percebe-se que valeu a pena! Uma praia linda!!!!

Lá se chega pela Playa Brava, e caminhando até o fim dessa praia se encontra a Playa Mansa, onde a maioria da galera monta acampamento.

20180219_104222

20180219_104230

DSC_0035

DSC_0039

DSC_0042

DSC_0057

DSC_0060

20180219_105412

DSC_0062

DSC_0066

DSC_0069

DSC_0072

20180219_110002

DSC_0075

20180219_110937

Eu fiquei a maior parte do tempo entre as duas praias, em uma piscina natural onde várias iguanas nadavam.

IMG_7123

IMG_7128

IMG_7138

IMG_7143

20180219_120138

20180219_120507

DSC06501

DSC06505

IMG_7145

IMG_7155

IMG_7159

IMG_7163

DSC_0094

DSC_0098

IMG_7169

 

De tarde fui fazer o tour nas terras altas com o Cezar. Paguei US$ 50,00.

Lá as tartarugas gigantes vivem em seu habitat natural. Nesse mesmo passeio se vê os Túneis de Lava, e os Gemelos.

Foi muito bacana o passeio… Muito mesmo. As tartarugas são incríveis e conseguimos ficar muito perto delas. Realmente um dos pontos altos da viagem! Queria ter ficado mais por lá.

DSC_0110

DSC06509

DSC06513

DSC_0114

DSC_0119

20180219_161619

20180219_161723

DSC_0120

DSC_0133

DSC_0155

20180219_165049

DSC_0161

20180219_170448

20180219_170534

20180219_170641

Nesse dia esqueci meu guarda-chuva lá e o Cezar deu um jeito de um conhecido dele pegar e me levar lá na pousada!!!!

20180219_172052

DSC_0168

 

Túneis de Lava

20180219_154840

20180219_154937

20180219_155232

20180219_155516

 

Los Gemelos

20180219_174118

DSC06522

DSC06530

 

Como alguns passeios estavam lotados e para não perder tempo, decidi ir para Isabela no dia seguinte e deixar reservado meu mergulho em Gordon Rocks para minha volta para Santa Cruz.

Infelizmente muitos passeios estavam lotados e não consegui mesmo fazê-los. Uma pena.

Quase nem o mergulho consigo. Eu ia fazer no dia seguinte, mas quando voltei para reservar já estava lotado o barco. Aí o Cezar conseguiu com um outro cara pelo mesmo preço que esse para o dia que voltasse para Santa Cruz.

 

Ele também me ajudou com os passeios em Isabela me colocando em contato com o Carlos e agilizando tudo para mim, inclusive o aviãozinho de Isabela para San Cristóbal

PQP, ele me ajudou muito!

Aí ele também conseguiu o ticket para o barco para Isabela pela manhã. Custa US$ 30,00.

 

 

20/02/2018 – Isabela

 

Peguei o barquinho pela manhã, pagando ainda US$ 1,50 para o aquataxi me levar até o barquinho que não encosta no porto.

Era um barquinho meio apertado… Não foi das viagens mais confortáveis. Demorou um pouco mais de 2 horas a viagem.

Chegando em Isabela já tinha o pessoal da pousada Coral Blanco me esperando com plaquinha e tudo no píer.

 

Ah, quando chega em Isabela tem que pagar uma taxa de US$ 10,00 para entrar… Lembra aqueles US$ 70? Então, viraram US$ 80 só para sorrir!

 

Bom, Isabela tem menos estrutura que Santa Cruz.

As cores do mar são impressionantes!

 

Quando cheguei descobri que apesar da pessoa da companhia aérea ter confirmado que havia um lugar no voo no dia anterior, quando foi ver direito de manhã , não tinha lugar nenhum….. Isso me deixou bem puto, porque teria que abrir mão de ir para San Cristóban, pois não teria tempo de ir de barco.

Me colocaram em uma fila de espera e ficaram de confirmar de tarde se arrumariam uma vaga ou não.

Aí também descubro que o passeio para Los Tuneles estava lotado nesse dia e também no próximo…. Isabela não estava me dando muita sorte…

O que fiz foi reservar o passeio para Las Tinoneras para o dia seguinte pela manhã e fui fazer outros passeios para Concha de Perla, a pé, e o Muro das Lágrimas de bike (US$ 10 por meio dia de aluguel).

Concha de Perla fica bem pertinho do píer de entrada de Isabela. É uma grande “lagoa” de água do mar com peixes e lobos marinhos.

Eu estava tão queimado de sol que fiquei mais me protegendo do sol do que fazendo snorkel no lugar.

20180220_120859

20180220_121056

IMG_7172

DSC_0171

DSC_0175

IMG_7173

 

Aqui é a praia do lado do píer, cheia de lobo marinho.

IMG_7174

20180220_132118

DSC_0178

 

Quando voltei, almocei e aluguei a bike para fazer o Muro das Lágrimas.

Fazendo um breve desvio no caminho, o primeiro lugar que parei foi o Centro de Crianza Arnaldo Tupiza. Um centro de criação das tartarugas gigantes de Galápagos. É possível ver as tartarugas de várias idades em ambientes fechados.

DSC_0189

DSC_0191

DSC_0192

DSC_0197

 

Depois parei na Laguna Salina do lado do centro para ver os Flamingos que vivem lá.

 

DSC_0201

DSC_0203

DSC_0207

 

Então retomei meu rumo em direção ao Muro das Lágrimas.

 

Quando cheguei no checkpoint do muro, encontrei uma menina do Japão que estava na minha pousada. Acabamos fazendo o resto do passeio juntos.

 

 

20180220_154023

 

A partir desse ponto já começamos a encontrar as tartarugas gigantes de Isabela no caminho.

Sensacional!

 

 

DSC06535

20180220_160853

 

Existem muitas paradas no caminho até o muro, mas decidimos não parar muito e se tivéssemos tempo pararíamos na volta em alguma coisa.

 

O muro em si não tem muita graça e nem muito sentido. O que vale é o passeio.

 

 

20180220_163255

 

Existe um morro ao lado com mirantes e decidimos subir até onde desse

20180220_163648

DSC_0228

DSC06540

20180220_170314

 

Na volta só paramos para as tartarugas mesmo.

DSC_0239

 

Eu estava meio com pressa, pois precisava saber se teria ou não um voo no dia seguinte, porque se não tivesse precisaria reorganizar toda minha viagem.

 

Assim que cheguei na pousada recebi a notícia que conseguiram um assento para mim no dia seguinte as 13hs. Perfeito!!!!!

 

Ainda deu tempo de pegar o por do sol na praia já bem feliz que o avião tinha dado certo!

 

20180220_184905

 

Fui então tomar um banho e me arrumar para procurar um lugar para jantar.

Me encontrei com minha amiga japonesa e fomos em um restaurante que tinha umas promoções de comida e de drinks.

 

20180220_200347

 

Estava tudo muito bom.

20180220_200938

 

Ficamos conversando um pouco e depois fui dormir porque no outro dia tinha que acordar cedo para o passeio e ela tinha que pegar o primeiro barco para Santa Cruz muito cedo!

 

21/02/2018 – Isabela / San Cristóbal

 

De manhã o pessoal do tour para Las Tintoneras passou para me buscar.

O tour saiu por US$ 35,00

 

Chegamos lá no píer e ficamos esperando o horário do barco sair, enquanto isso fui fazer amizades com os lobos marinhos!

 

 

20180221_092445

 

Quando o passeio começa, a primeira parada é tentar encontrar os Pinguins de Galápagos. Não tivemos sucesso, mas por sorte encontramos o Atobá de Pata Azul (Sula nebouxii), ou Piquero de Patas Azules, ou ainda Blue Footed Booby 😉

 

DSC_0246

Foi o primeiro da viagem esse. Muito lindo!

DSC_0249

 

Bom, sem os pinguins por perto, seguimos a viagem para uma caminhada de onde se pode avistar os Tubarões de Galápagos e um local que eles usam para descanso.

Um lugar com muitas e muitas iguanas, fragatas e algumas outras aves, caranguejos, tartarugas marinhas e os tubarões, claro!

DSC_0255

20180221_100044

DSC06554

20180221_101756

DSC_0272

 

A caminhada termina em uma linda praia que não podemos entrar e é destinada apenas aos moradores locais… Lobos Marinhos e todos os outros animais!

DSC_0273

DSC06564

20180221_103719

DSC_0279

DSC_0288

DSC_0296

DSC_0299

20180221_105504

 

Na volta, como não tínhamos visto os pinguins, fui lá encher o saco para procurarmos mais. E funcionou!

Avistamos um casal voltando do mar e ficamos lá um pouco pertinho deles curtindo.

DSC_0302

DSC_0304

20180221_105759

DSC_0312

 

De lá fomos para a área de Snorkel. Provavelmente o melhor Snorkel que fiz em Galápagos.

20180221_110355

 

Vi de tudo… Peixe, ouriço, iguana, estrela do mar, tartaruga, arraia, etc.

IMG_7179

IMG_7185

IMG_7189

IMG_7192

IMG_7194

IMG_7197

IMG_7203

IMG_7206

IMG_7207

IMG_7212

E com isso, encerramos o passeio.

 

Eu já estava na pressão na galera para me levarem embora porque não podia perder meu voo!

No final deu tempo tranquilamente. O Carlos ainda pegou o carro da dona da pousada que estava e me deu uma carona até o aeroporto. E ainda não quis que eu pagasse pelo transporte… Foi muito gente boa!!!!!!!

 

O contato do Carlos lá em Isabela é:

Carlos Valencia

+593 096 7643662

 

O Voo foi um capítulo a parte… Era necessário, além de muito bonito sobrevoar as ilhas, mas eu estava com um baita frio na barriga… O aviãozinho era muito pequeno!

Eram 10 lugares… O piloto e mais 9 passageiros.

E eu vacilei. O assento do lado do piloto podia sentar. Eu não sabia e sentei lá atrás. Que vacilo!

No final o voo foi bem tranquilo e muito bonito!

Custou US$ 135,00 o voo de Isabela para San Cristóbal e durou 45 minutos pela companhia Emetebe.

20180221_132309

20180221_132404

20180221_133103

20180221_133155

20180221_133749

 

Quando cheguei em San Cristóbal foi a mesma patifaria dos taxis. Um taxista chamou um taxi extra para mim e um casal que ficou para trás.

Como não tinha lugar para ir, pedi que ele me levasse para um hostel barato. E deu tudo certo.

 

Aí saí para fechar os passeios. Na verdade só iria fazer um passeio. Minha ideia inicial era fazer o tour para Punta Pitt, onde vivem os Atobás de Pata Vermelha. Não tinha nenhum tour para lá no dia seguinte, então fiz o Tour 360º. Ele passava por Punta Pitt, mas não descia, além de outros lugares bacanas, como Kicker Rock por exemplo. No final achei que foi a melhor coisa, pois vi vários Atobás e ainda fiz muitas outras coisas!

 

Com isso resolvido, parti em direção ao Cerro Tejeretas.

No Cerro Tijeretas existe um mirante com um visual bem bonito e para quem quer continuar, uma trilha já mais “suja” (sugeriram não fazer de chinelo, por exemplo) até uma outra praia com uns 40 minutos de caminhada a mais. A trilha até o mirante é urbanizada e até que tranquila.

DSC_0349

DSC_0350

DSC_0353

DSC06576

20180221_165932

 

Eu me dei por satisfeito no mirante e após curtir o visual comecei a descida para o ponto de snorkel.

Um lugar com a água bem azulzinha e lobos marinhos curtindo a vida.

DSC_0357

DSC_0359

20180221_171219

20180221_171340

20180221_171357

20180221_171425

IMG_7229

IMG_7233

IMG_7253

IMG_7256

IMG_7257

 

Já próximo do final do dia comecei minha caminhada de volta e meio que sem querer encontrei a indicação para uma praia para ver o por do sol. A praia era linda!

DSC_0367

DSC_0373

 

Dei muita sorte! Foi um por do sol incrível!!!!!!!!!

DSC_0381

DSC_0391

DSC_0397

 

22/02/2018 – San Cristóbal

 

Acordei bem cedo para o tour 360º. Paguei US$ 160 pelo tour.

 

O tour dá toda a volta na Ilha de San Cristóbal, mas os pontos de parada que são os mais interessantes, fora uma praia ou outra que avistávamos que dava vontade de conhecer.

 

A primeira parada é para uma caminhada onde podemos avistar formações rochosas e lagoas bem bonitas.

DSC_0406

DSC_0408

DSC06595

DSC06601

DSC06604

 

Depois fomos para o snorkel. Demos muito azar nessa hora. É um lugar que dizem que 99% das vezes se vê tubarões… Bom, nesse dia eles não estavam lá. E a visibilidade estava muito ruim… Não foi um snorkel dos mais legais, apesar de eu ter visto 2 vezes uma espécie de nudibrânquio bem bonita, além de muitos camarões e caracóis em forma de espiral bem diferentes!

IMG_7268

IMG_7274

IMG_7275

IMG_7281

IMG_7284

IMG_7300

 

Seguindo fomos esperar o barco em uma praia bem bonita e ficamos um pouquinho lá curtindo. Passa tanta coisa na cabeça em lugares como esse……..

20180222_113634

20180222_114330

IMG_7304

 

A próxima parada era Punta Pitt, Eu já vim pondo pilha nos caras por conta de Punta Pitt o rolê inteiro, então quando chegamos lá o cara parou de verdade para eu conseguir ver os pássaros e tirar umas fotos… Pelo visto era só uma paradinha rápida, mas como eu falei com eles, ficamos um tempinho a mais por lá.

DSC_0441

DSC_0443

DSC_0465

DSC_0470

DSC_0473

DSC_0475

DSC_0478

Tinha muita ave ali!

Inclusive a que eu estava atrás, o Atobá de Pata Vermelha (Sula sula), ou Piquero de Patas Rojas, ou ainda Red Footed Booby 🙂

DSC_0493

DSC06611

DSC_0508

 

Já satisfeito, seguimos para uma praia onde ficamos curtindo um pouco a praia mesmo.

Nessa praia tinha um jovem lobo marinho bem debilitado… Magrinho que só. Aí eu fui falar com o guia se eles têm algum programa de ajuda para esses animais quando os encontram precisando de ajuda, que na minha opinião era bem o caso daquele. Infelizmente ele disse que não e eles só agem se for algo não natural. Nesse caso não parecia que era o caso, então eles não faziam nada…… Uma pena. Não sei se o coitado iria conseguir sozinho, mas é a vida.

DSC_0509

DSC_0512

20180222_141631

20180222_141812

IMG_7308

IMG_7313

 

E por último, fomos para Kicker Rock. Uma formação rochosa sensacional

 

A vida debaixo d’agua é incrível. Corais, peixes, tartarugas e muitos tubarões! Isso que a gente estava só de snorkel… Mergulhar lá deve ser sensacional!

 

DSC_0517

DSC06613

20180222_151022

20180222_151108

DSC_0523

DSC_0526

DSC_0530

IMG_7334

IMG_7341

IMG_7347

IMG_7359

IMG_7361

 

Do lado de fora também é bem legal!

IMG_7369

DSC_0532

DSC06622

DSC06628

DSC06629

DSC06634

20180222_160753

 

E foi isso. Acabei ficando bem satisfeito com o passeio! Foi tudo muito bacana!

 

Daí foi só pegar o por do sol na cidade, comer e dormir.

20180222_175203

20180222_180821

20180222_181457

20180222_183018

20180222_183924

20180222_183947

20180222_184604

 

23/02/2018 – San Cristóbal

 

Esse dia tirei para conhecer La Loberia.

 

É uma praia bonita, com uma piscina natural onde ficam os Lobos Marinhos e é possível fazer snorkel, e a parte desprotegida, onde quebram altas ondas e ficam os surfistas.

 

Nesse dia dei um pouco de azar. Só tinha um lobo marinho nadando por ali e para piorar ele estava bem agressivo. Ficou colocando a galera para correr o tempo todo.

O tempo ainda estava péssimo e choveu muito! Mas muito mesmo. Muita chuva por muito tempo. Meio que deu uma miada no rolê.

 

DSC06640

DSC06644

IMG_7377

IMG_7387

IMG_7390

 

Já na hora que estava saindo apareceu um filhote de lobo marinho e ficou lá nadando um pouco.

20180223_121653

20180223_121701

20180223_122228

 

Então voltei pegar minhas coisas no hostel e fui para o barco. Dessa vez dei sorte. Era um barco confortável e com espaço sobrando. Foi tranquilo o trajeto entre San Cristóbal e Santa Cruz.

 

De noite só fiquei caminhando no centrinho e jantei.

 

24/02/2018 – Santa Cruz

 

Dia do mergulho em Gordon Rocks. Paguei US$ 160 no mergulho.

 

A expectativa desse dia era grande! Muitas chances de mergulhar com Tubarões Martelo… Eu queria muito isso!

 

O passeio começa cedo. Tem que estar as 6 da manhã na agência de mergulho.

20180224_062052

 

Lá nos encontramos todos, comemos um pão e um café com leite e partimos para o local de saída do barco, que não é muito pertinho.

 

O barco vai tranquilo até Gordon Rocks.

20180224_075118

20180224_075330

20180224_075630

 

Quando chegamos lá tinha um lobo marinho que tinha pegado um peixe e ficou lá se exibindo para nós com seu peixe na boca! Foi bem legal! Pena que ninguém estava com a câmera nessa hora.

Depois um pelicano quis porque quis pegar minha máscara de mergulho… Foi engraçado! Aí todo mundo correu pegar as câmeras para tirar foto!

IMG_7393

IMG_7399

 

Bom, lá recebemos as orientações do mergulho, nos equipamos e bora para a água!

20180224_081036

 

O lugar é sensacional… A quantidade de tubarões é impressionante! Para todos os lados.

Já nesse primeiro mergulho vi 2 Tubarões Martelo, mas o melhor estava reservado para o segundo mergulho.

IMG_7407

IMG_7421

IMG_7424

IMG_7425

 

 

Infelizmente algo errado aconteceu com minha câmera e entrou agua no case. Não tinha câmera para o segundo mergulho e tive que pedir para o pessoal que mergulhou comigo me enviar as fotos, porque esse segundo mergulho foi insano!

DSCN2449

DSCN2471

DSCN2474

 

Eu vi mais de 200 Tubarões Martelo em cardumes de mais de 40 de cada vez… Foi uma das coisas mais bonitas que vi na minha vida… Era maravilhoso!

Vi algumas raias, mas no final enquanto estava fazendo minha parada de descompressão, vi um cardume de raias que foi algo indescritível. Não dava para contar… Umas 60, 70… Sei lá. Elas passaram tranquilamente por baixo de mim…….. Nossa, que imagem. Queria cortar os pulsos por não estar com minha câmera.

 

Que mergulho!!!!! Missão cumprida!!!!!!!

DSCN2487

Depois que voltamos não tinha muita coisa para fazer e acabei ficando descansando na pousada.

20180224_192929

De noite fui dar minha volta e vi uma coisa que me deixou com pena dos equatorianos… O futebol deles é tão ruim que eles acham espaço para passar um jogo entre Flamengo em Fluminense do campeonato carioca na TV… Coitadinho daquele povo….

20180224_193203

 

25/02/2018 – Santa Cruz

 

Nesse dia estava meio sem muito o que fazer e também sem dinheiro… Então decidi fazer o Tour da Baía… Acho que paguei algo em torno de US$ 25 ou US$ 30,00. Não me lembro exatamente.

 

Acabou que foi um passeio bacana, apesar que dispensável para quem já tinha feito alguns rolês por lá. Mas eu gostei. Ocupou bem minha manhã!

 

Vimos muitos animais no passeio. Inclusive uma das fotos que mais gostei da viagem eu tirei nesse passeio.

 

Vi Atobás de Pata Azul, Lobos Marinhos, Iguanas, Pelicanos, Caranguejos, Fragatas e até um cachorrinho marinheiro!!!!

 

Choveu muito esse dia também e foi um transtorno andar de chinelo na lama dos lugares que o passeio parava… O pé afundava com lama até as canelas! Tive que tirar e andar descalço mesmo.

Essa foto logo abaixo é a que representa muito o que é Galápagos. Existem 6 espécies diferentes de animais nessa foto. Só a Fragata está desfocada no fundo… As outras todas aí no primeiro plano!!!!

DSC_0545

 

Foi um passeio bacana!

DSC_0546

DSC_0556

20180225_093649

DSC_0566

DSC_0568

DSC06647

DSC_0572

DSC_0574

20180225_102735

DSC06650

DSC_0587

DSC_0589

 

No volta, mais um show de Galápagos… No píer tinha um cardume de Golden Rays, vários tubarões e lobos marinhos nadando juntos… Que absurdo esse lugar!

20180225_130120

DSC06653

DSC06654

20180225_130846

DSC_0604

DSC_0609

 

Daí fui almoçar e depois iria para o centro de pesquisa Charles Darwin. Meu último passeio da viagem.

Só tive que esperar o dilúvio que estava caindo na cidade passar.

20180225_131910

20180225_142241

 

O Centro de Pesquisa Charles Darwin tem várias partes, nem todas abertas para turistas. As principais atrações são as tartarugas gigantes, claro, mas tem outras coisas para ver também.

20180225_181311

20180225_180702

20180225_180714

DSC_0614

DSC_0615

DSC_0617

DSC06664

DSC_0620

DSC_0626

DSC_0627

DSC_0643

DSC_0649

DSC_0669

20180225_172106

20180225_172116

 

Aí no centro está “empalhado” (não sei qual é o nome correto disso) o Solitário George. Ele morreu em 2012 já bem velhinho.

Ele que já foi parar no Guinness Book como o animal mais raro do mundo!

 

Existe uma visitação controlada no local que ele fica.

Quando eu o vi lá me deu um nó na garganta…… Triste……….

 

Ele foi uma das minhas grandes motivações de colocar Galápagos no meu radar de viagens… Ele é a história diante dos nossos olhos… Ele representa o que as pessoas estão fazendo com esse planeta.

Uma pena que não consegui ir enquanto ele ainda estava vivo. L

 

Além de ter uma história tão triste de como foi encontrado na Ilha de Pinta depois de sua espécie já ter sido dada por extinta… Tadinho!

Mas tenho certeza que foi muito bem cuidado nos últimos anos de vida depois que foi levado para Santa Cruz.

20180225_165614

20180225_165804

Obrigado Lonesome George, por ajudar a abrir os olhos das pessoas! Obrigado por me levar à Galápagos!

20180225_170044

20180225_164303

 

Bom, encerrado o passeio ainda parei na praia que fica dentro da área do centro de pesquisas. Muitos Darwin’s Finches na praia fazendo amizade com a galera… Principalmente os que deixavam farelos escaparem de suas refeições!

20180225_173326

20180225_173428

20180225_173858

20180225_174025

 

Então me despedi de Galápagos.

20180225_180120

 

26/02/2018 – Santa Cruz

 

No aerporto

20180226_102947

20180226_103035

20180226_172910

 

 

Espero realmente um dia voltar para conhecer as coisas que não tive oportunidade nessa viagem. É tudo tão perfeito por lá!

 

Valeu!!!!

20180221_110404

1 dia em Santiago

Um Pit Stop em Santiago

 

No caminho para a Nova Zelândia, eu e a Ba passamos algumas horas em Santigo e resolvemos aproveitar para passear um pouco por lá.

Tivemos uma tarde inteira e conseguimos aproveitar um pouco.

Primeiro fomos almoçar no mercadão. Passeamos um pouco e escolhemos um restaurante para almoçarmos.

001 - IMG_0007

002 - IMG_0008

003 - IMG_0009

 

Antes do almoço um Pisco para abrir o apetite!!!

004 - IMG_0008a 004 - IMG_0010

 

Pedimos um ensopadão com uma porção de frutos do mar e um prato de salmão. Veio bastante comida e estava tudo ótimo

005 - IMG_0013

006 - IMG_0015

007 - IMG_0017

 

Daí saímos para o Cerro San Cristóbal.

008 - IMG_0019

009 - IMG_0021

010 - IMG_0023

 

Primeiro paramos no zoológico de lá.

O lugar é bonito, com diversos animais.

011 - DSC_0627 (2)

012 - DSC_0631 (2)

013 - DSC_0632 (2)

014 - DSC_0634 (2)

015 - DSC_0635 (2)

016 - DSC_0663 (2)

017 - DSC_0664 (2)

018 - DSC_0638 (2)

019 - DSC_0639 (2)

020 - DSC_0661 (2)

021 - DSC_0642 (2)

022 - DSC_0643 (2)

 

Esse aqui eu fiquei uma meia hora fazendo carinho e ele não queria sair de lá!!!

023 - DSC_0645 (2)

024 - DSC_0647 (2)

025 - DSC_0648 (2)

026 - DSC_0649 (2)

027 - DSC_0651 (2)

028 - DSC_0653 (2)

029 - DSC_0665 (2)

030 - DSC_0666 (2)

031 - DSC_0668 (2)

032 - DSC_0670 (2)

033 - DSC_0672 (2)

034 - DSC_0673 (2)

035 - IMG_0024

036 - IMG_0025

037 - IMG_0030

038 - IMG_0031

039 - IMG_0027

039 - IMG_0032

040 - DSC_0674 (2)

041 - DSC_0676 (2)

042 - DSC_0677 (2)

043 - DSC_0678 (2)

044 - DSC_0681 (2)

045 - DSC_0683 (2)

 

Estou te vendo!!!

Estou te vendo!!!

Cadê???

Cadê???

Gambás brincando!

Gambás brincando!

050 - DSC_0690 (2)

051 - DSC_0691 (2)

052 - DSC_0692 (2)

 

Achei que o elefante e principalmente o urso precisariam de mais espaço… Isso infelizmente é um problema da maioria dos zoológicos… Arrumar espaço adequado para o porte dos animais.

053 - DSC_0693 (2)

 

Daí subimos para o topo do Cerro.

Ficamos dando uma volta, curtindo uma bebida esquisita e vendo o sol se por.

054 - DSC_0694 (2)

055 - DSC_0695 (2)

056 - DSC_0696 (2)

057 - DSC_0697 (2)

058 - DSC_0701 (2)

059 - DSC_0703 (2)

059 - IMG_0012a

060 - DSC_0704 (2)

061 - DSC_0705 (2)

062 - DSC_0706 (2)

063 - DSC_0707 (2)

064 - IMG_0033

Passeando!!!!!

065 - IMG_0034

Acabou o passeio!!!

067 - IMG_0037

Manifestação nas ruas! Eles devem ter as Dilmas da vida deles por lá…

Fim do dia, fomos até o terminal de ônibus pegar o ônibus que nos levou de volta para o aeroporto.

Passeio rápido mas que valeu um monte!

Chile – Neve e Vinho! – Parte 1 / 2

Olá amigos!!!!

 

Tirei alguns dias de férias para visitar o Santiago com minha namorada e curtir algumas coisas que ainda não tinha curtido por lá.

 

Foi uma passagem rápida, mas muito bem aproveitada! Fomos fazer snowboard nas montanhas, conhecer algumas vinícolas e passear por Santiago.

 

E foi assim…

 

Santiago

13/08/2015

Chegamos tarde em Santiago em um voo da Sky que comprei em uma ótima promoção de passagens. Fomos pegar o carro que alugamos para irmos logo para o hostel descansar. Na locadora de carro acabei encontrando um amigo que trabalhou comigo na época da Deloitte que vai sempre para lá fazer snowboard. Foi bom porque ele já me passou várias dicas da montanha!

?

?

Chegamos no hostel, deixamos nossas coisas e fomos comer em um restaurante na própria rua do hostel. Eu comi um ceviche e tomei uma cerveja para brindar a viagem que estava começando!

20150814_003106

 

 

14/08/2015

Tomamos nosso café no Hostel e saímos em direção à montanha. Não gostamos muito do hostel que ficamos. Apesar de uma localização relativamente boa e um atendimento simpático, o banheiro era horrível e o quarto bem apertado.

 

No caminho para a montanha paramos no shopping de esportes que é um lugar muito legal, mas infelizmente muito caro com essa nossa moeda ridiculamente desvalorizada. Demos uma voltinha e já fomos embora.

 

Na subida da montanha, todos os carros foram parados em um posto da polícia rodoviária. Lá ele só deixa seguir viagem se tiver correntes no carro.

Como já sabíamos disso, já paramos na estrada em um lugar onde as pessoas ficam alugando as correntes para quem ainda não tem. Saiu caríssimo esse aluguel de corrente, mas infelizmente não tem como seguir sem isso. E o pior é que eu não tenho a menor ideia de como se coloca isso nos pneus… Se precisasse colocar, iria passar perrengue.

 

Bom, vencido esse obstáculo, seguimos para as famosas quarenta e poucas curvas da estrada até o topo da montanha.

Um visual muito bonito!

 

IMG_0879 IMG_0885 IMG_0866 IMG_0865 IMG_0889 IMG_0867 IMG_0868

 

Farellones

 

Nós ficamos hospedados em Farellones, no Blue Tambo Hostel. É um lugar mais descolado… Achei bacana lá!

Só teve um único problema, logo no check in já fomos informados que lá era tão bom que rolava uma balada dentro do hostel no Sábado até altas horas… Logo de cara já não consegui fazer a relação de como uma balada dentro do hostel poderia ser bom para quem está hospedado lá…………………????

Mas fora isso, o resto era bem legal!

 

?

20150815_145951

?

?

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

 

Deixamos nossas coisas e já fomos para a entrada da estação de esqui. A estação fica a uns 2 quarteirões do hostel.

Chegando lá já fomos contratar as aulas de snowboard, alugar os equipamentos e comprar o ticket de entrada na estação.

Como ainda não tínhamos almoçado, ainda fomos comer um sanduiche antes de irmos para a pista.

Fechamos 2 horas de aula particular, que foram bem proveitosas. Eu já tinha feito snow, mas a Bá só tinha feito ski, então não tinha muita base e sem as aulas não teria feito muita coisa.

 

?

?

Look tropical!

????????????????????????????????????

IMG_0891 IMG_0892 IMG_0893

 

Durante a aula o tempo fechou e começou a nevar, o que foi bem legal!

 

IMG_0894 IMG_0895 IMG_0898 IMG_0899 IMG_0900 IMG_0901 IMG_0902 IMG_0904 IMG_0906 IMG_0908 IMG_0911 IMG_0912

 

Depois de muitos tombos, a aula acabou e já estava perto da hora de devolver o equipamento que a pista já ia fechar.

 

IMG_0919

 

Voltamos para o Hostel, tomamos um banho e fomos jantar lá dentro mesmo. Pedimos uma pizza, um vinho e ficamos curtindo a lareira.

 

?

?

????????????????????????????????????

Mau humor de fome!

????????????????????????????????????

Deitamos cedo pois estávamos exaustos.

 

 

15/08/2015

 

Estávamos na dúvida se sairíamos para esquiar em outra pista ou se ficaríamos em Farellones mesmo, mas acabamos ficando por lá. Apesar de ser uma estação pequena, pouca gente fica lá e isso ajuda muito para fazer as coisas com tranquilidade e sem fila de lifting. E para nós essa pista já estava ótimo…

 

?

IMG_0937

De vez em quando eu via ela fazendo umas manobras lá de cima do teleférico!

IMG_0920 IMG_0923 IMG_0926 IMG_0929 IMG_0930 IMG_0932 IMG_0933 IMG_0934 IMG_0936 IMG_0942

?

IMG_0944

 

Ficamos curtindo a pista o dia inteiro, e apenas paramos para irmos até o hostel comer o resto da pizza do dia anterior que guardamos.

 

IMG_0947

 

Foi bem legal esse dia… Desci muitas vezes a montanha e estava com muita segurança nas manobras.

 

 

IMG_0951 IMG_0966

 

Lá só achei ruim o horário de devolução do equipamento alugado. Tinha que devolver no máximo as 16:30. É muito cedo isso… Daria para aproveitar mais se não fosse isso, mesmo já bem cansado essa hora.

 

 

IMG_0974

?

 

No hostel conseguimos assistir um belo por do sol, mesmo com o céu bem nublado esse dia.

 

?

20150815_192346

Bem preparado para a neve!!!

????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

 

Jantamos um belo sanduiche e fomos deitar………..

 

20150815_195936

Só que, era Sábado… E Sábado é dia de balada!!!!!!!! Né?!?!?!?!

 

Nós acordamos com o som nas alturas praticamente dentro do nosso quarto. E aquele barulho de gente indo par lá e para cá…

Bom, resolvemos nos arrumar e ir para a balada, pois dormir não ia rolar mesmo!

 

Isso abaixo era a menos de 10 passos do meu quarto…

?

 

Bom, o pico estava bombando de gente… Tinha um DJ dentro e outro do lado de fora. E não parava de chegar gente… Que coisa de louco!

 

?

?

?

?

 

Curtimos a balada um tempo e depois voltamos para o quarto para tentar dormir. Estávamos tão cansados que conseguimos dormir mesmo com aquela barulheira toda.

 

16/08/2015

 

Acordamos tarde por conta da noite mal dormida do dia anterior…  Ficamos conversando com o pessoal da pousada e já logo decidimos nem tentar ir em outra pista. Iriamos ficar por lá mesmo pois estava tudo lotado. Era um dia lindo e a montanha estava abarrotada de gente.

 

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

 

Antes de irmos para a pista, fomos dar uma volta por La Parva e El Colorado para ver as estações e curtir o visual.

La Parva não tem teleférico e os liftings são só aqueles de colocar a barra entre as pernas.

Colorado é lotado!!! Tinha fila para tudo quanto é lado lá… Imagino nos liftings!

 

 

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

Meu anjinho!

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

Love U

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

 

Quando voltamos para Farellones, fomos pegos de surpresa por uma noticia muito ruim… Não havia mais equipamento para alugar em um dos lugares, e no outro, eles não estavam aceitando cartão… Resultado: Não conseguimos esquiar esse dia.

 

Que droga…… Estava tudo muito cheio e eu acho que o aluguel lá em Farellones é mais barato que nas outras estações, então o pessoal já para lá, aluga e toca a vida. A pista de Farellones mesmo estava vazia.

Fiquei muito puto…… Mas, é a vida…

 

IMG_0977

IMG_0981

 

Almoçamos então no restaurante que todos recomendam comer por lá que tem uma vista linda da pista e das montanhas. A comida estava muito boa mesmo!!!! Não me lembro o nome agora, mas é o restaurante grande que tem na estação. Não tem como errar!

IMG_0983

?

 

Fomos tirar umas fotos e já começamos a nossa descida para Santiago.

 

IMG_0984 IMG_0985 IMG_0986 IMG_0987 IMG_0989 IMG_0990 IMG_0992

?

Artista da Neve

?

Boneco de Neve Punk

IMG_0993 IMG_0995 IMG_1004 IMG_1005 IMG_1006

 

No caminho fomos parando para fotos e para curtir o visual… Realmente um lugar muito lindo.

 

IMG_1007 IMG_1010 IMG_1011 IMG_1013 IMG_1014 IMG_1016

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

E tome curva…

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

Modelando

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

Propaganda do possante!

????????????????????????????????????

 

 

Também demos sorte e assim como na subida, conseguimos ver uma raposa que passeava pela montanha. Muito linda!

????????????????????????????????????

IMG_1018IMG_1019

????????????????????????????????????????????????????????????????????????

Chile – Neve e Vinho! – Parte 2 / 2

Santiago

 

Quando chegamos em Santiago, ainda era cedo e aproveitamos para dar uma volta no Cerro Santa Lucía

 

 

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

Delícia, né?!?!

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

 

Estrava um dia bem bonito e foi um passeio bem legal!

 

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

 

Depois demos umas voltas de carro e paramos em uma rotisserie para comprar umas empanadas e um cheesecake para comer no hostel.

 

17/08/2015

 

Esse dia saímos para conhecer as vinícolas do Valle de Casablanca. Uma região tradicional de vinhos com diversas boas opções de visitas.

Saímos com a intensão de visitar a vinícola Casas del Bosque e pelo menos mais uma.

A Casas del Bosque foi muito recomendada por todos que conheciam a região, inclusive com ótimas referencias de seu restaurante, que eu infelizmente não pude experimentar, pois o restaurante não abre às Segundas.

A outra vinícola iríamos decidir na hora. Lendo um guia da região que a Bá ganhou, acabamos decidindo ir para a vinícola Emiliana. Foi uma ótima escolha!

 

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

 

A Emiliana é uma vinícola 100% orgânica, com agricultura biodinâmica, pensamento sustentável e com responsabilidade social. Eles possuem diversos certificados nessas áreas.

É um processo longo para se chegar a isso. São anos sem uso de nenhum agrotóxico e adubo industrializado até que se possa ser considerada uma vinícola orgânica.

Eu achei tudo lá sensacional!

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

 

Fizemos o wine tour pela vinícola onde o nosso guia foi explicando sobre a região, as uvas, o solo, e principalmente os processos que uma vinícola orgânica precisa seguir para conseguir um vinho de qualidade.

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

 

Nessa época as parreiras estão secas, porém em Fevereiro e Março se pode provar todas as uvas durante o tour.

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

 

 

Eles utilizam adubos naturais como fezes de pássaros e principalmente de Alpacas, que eles criam na propriedade especificamente para isso. Chamam de “oro negro” as fezes delas!

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

 

 

Eles também possuem um galinheiro móvel que ficam levando as galinhas por toda a propriedade para fazerem seu serviço!!!!

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

 

 

Também fazem um controle rígido da população de insetos benéficos para a plantação. Quando a população está abaixo do necessário, eles compram os insetos para manterem os níveis adequados desses insetos.

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

 

Possuem ainda uma plantação de algumas ervas e plantas muito semelhantes a essas que utilizamos para fazer chás, que são utilizadas como “adubos” de forma homeopática, que servem para funções iguais as funções medicinais que as utilizamos.

????????????????????????????????????

 

Depois do tour fomos para a degustação dos vinhos e de queijos.

?

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

 

Todos os vinhos muito bons! Especialmente o Coyam e o Gê, que é o principal vinho deles.

?

?