Nova Zelândia – 1/11

Ir para a Nova Zelândia sempre foi um sonho e eu não tenho palavras para explicar como eu fiquei feliz de fazer essa viagem!

Tudo de bom que se escuta de lá é verdade. Que lugar!!!

Fiquei duas semanas por lá com minha namorada e exploramos aquele país no máximo que foi possível nesse curto espaço de tempo.

Certamente uma das viagens mais especiais da minha vida. Espero voltar lá algum dia para matar as saudades desse lugar incrível e conhecer o que ficou faltando dessa primeira vez.

 

A viagem foi feita em grande parte de campervan, que é um motorhome pequeno e sem banheiro.

Ficamos alguns dias de carro normal e fizemos um trecho de avião, em um percurso total que começou em Auckland e terminou em Queenstown.

 

Fizemos: Auckland – Waitomo Caves – Rotorua – Tongariro National Park – Wellington – Picton – Nelson – Abel Tasman National Park – Kaikoura – Christchurch – Wanaka – Queenstown – Te Anau – Milford Sound – Queenstown – Auckland

 

Entre Picton e Christchurch fizemos de carro. O trecho de Christchurch para Queenstown de avião, assim como o trecho de volta para Auckland, saindo de Queenstown, também de avião.

O resto foi de campervan, que foi uma experiência sensacional de andar com a casa nas costas igual a tartaruga, para lá e para cá!!!

 

A estrutura dos campings onde se para a Campervan é perfeita. Todos os lugares que paramos tinham ótimos banheiros e cozinha! Inacreditável como era tudo limpo e organizado.

Parar em campings é obrigatório para quem está de campervan ou motorhome sem banheiro. Quem tem banheiro no motorhome tem a opção de parar em “estacionamentos” públicos, que não têm a estrutura de camping, mas também não paga nada para passar a noite lá.

 

 

E foi assim…

 

08/03/2015

Auckland

 

Chegamos em Auckland depois de muito tempo que eu tinha saído da minha casa… Estava bem cansado… Saí de casa era Sexta Feira de manhã, dia 06/03, e cheguei em Auckland era Domingo….. Estava atordoado.

img_0039

Primeira coisa foi comprar um chip pré pago de telefone para podermos usar o 3G e fazer ligações, caso necessário.

Tem alguns planos para turistas que eles oferecem lá no aeroporto. Tem um inclusive que dá direito a usar um Wi Fi que a companhia disponibiliza em diversos lugares das cidades. Tem um monte de pontos mesmo! Eu não peguei esse, então estava limitado ao plano que peguei. Tinha que dar uma economizada, pois usamos muito os mapas e GPS do celular a viagem inteira.

 

Fomos então pegar nosso carro / casa. Alugamos na Jucy, que foi um dos poucos lugares que têm estrutura por todo o país.

Isso foi algo que me deixou muito surpreso quando fui alugar a campervan. Apesar de ser algo enorme esse negócio de aluguel de motorhome e campervan, a grande maioria das empresas são locais, o que dificulta muito para quem vai fazer o percurso em uma única direção e não vai retornar com o carro.

Algumas empresas chegam a cobrar mais de mil dólares para você devolver o carro em uma cidade em que eles não têm escritório. E a grande maioria sequer aceita esse tipo de devolução.

Deu uma canseira até entender que a melhor opção era a Jucy, mesmo não sendo a mais barata.

Tem também a questão de horário, que essas empresas locais nem sempre estão abertas no horário que você precisa retirar ou devolver o carro, então, ou nem consegue alugar, ou tem que pagar taxa extra para devolver fora do horário de funcionamento deles.

Para quem vai pegar e devolver o carro no mesmo lugar e dentro dos horários comerciais, aí tem opção que não acaba mais, mas para quem não vai fazer isso, as opções são bem restritas.

 

Bom, pegamos o carro, o pessoal explicou lá como funcionava para usar as coisas da cozinha, como montar a cama, etc.

img_0041

img_0044

 

Tudo pronto, seguimos para o centro de Auckland para conhecer a cidade.

A primeira parada foi na Sky Tower. Paramos nossa casa em um estacionamento próximo e fomos andando até a torre. Já logo subimos e ficamos curtindo o visual lá de cima.

 

dsc_0710-2

dsc_0713-2

 

Auckland é uma cidade linda!!!!

dsc_0716-2

dsc_0720-2

dsc_0721-2

dsc_0722-2

dsc_0724-2

dsc_0733-2

dsc_0735-2

dsc_0736-2

 

Depois fomos para o andar de baixo onde funciona um café. Comemos uns sanduíches e tomamos umas cervejas locais com aquela vista sensacional!

 

dsc_0738-2

dsc_0742-2

dsc_0744-2

img_0014a

 

Lá na torre era possível fazer alguns esportes radicais, como andar pelo lado de fora da torre ou simplesmente pular lá de cima!

É inacreditável como lá os caras arrumam um jeito de se jogar de cima de qualquer coisa que eles acham!!!!!!!! Não tem nada que eles não achem um jeito de transformar em uma aventura!

dsc_0737-2

 

Bom, depois da Sky Tower fomos para Mission Bay, uma área de parque e praia ainda perto do centro da cidade.

dsc_0745-2

dsc_0751-2

 

dsc_0761-2

 

Ficamos por lá um tempo dando uma relaxada e curtindo o visual.

Não é uma praia linda, mas é bem bacana por ser dentro da cidade e ter o parque onde a galera fica passeando e fazendo esporte.

 

dsc_0762-2

dsc_0767-2

dsc_0773-2

dsc_0775-2

dsc_0780-2

dsc_0782-2

 

De lá partimos para o parque que fica o Auckland War Memorial Museum. Um parque bem legal.

dsc_0788-2

dsc_0792-2

 

Depois de uma breve passagem pelo museu, fomos conhecer o Auckland Domain, que é uma espécie de jardim botânico que fica dentro desse parque.

Muito bonito!

dsc_0793-2

dsc_0795-2

dsc_0796-2

dsc_0799-2

dsc_0801-2

dsc_0802-2

dsc_0803-2

dsc_0804-2

dsc_0805-2

dsc_0807-2

dsc_0808-2

dsc_0809-2

dsc_0812-2

dsc_0813-2

dsc_0814-2

dsc_0815-2

dsc_0819-2

dsc_0822-2

dsc_0825-2

dsc_0831-2

dsc_0834-2

dsc_0835-2

dsc_0837-2

dsc_0842-2

dsc_0843-2

dsc_0844-2

dsc_0848-2

 

Então já indo embora, paramos para assistir o pessoal jogando Cricket. Tinham vários campos, um do lado do outro, e todos ocupados.

Estava rolando a copa do mundo de Cricket enquanto estávamos lá, e não sei se isso contribuiu para ter tanta gente jogando lá empolgada com o evento. Parecia bem sério… Não era uma galerinha brincando de final de semana só.

dsc_0855-2

dsc_0856-2

dsc_0859-2

 

Então fomos para nossa última parada, a Queen Street. Fomos em busca de uma casa de câmbio para trocar o dinheiro e conhecer um pouco o centro comercial de Auckland.

dsc_0861-2

dsc_0862-2

A saudosa Deloitte lá ao fundo, muito bem localizada em Auckland!

 

Bem legal por lá também… Tomamos um café no Starbucks e aproveitamos para usar um pouco a internet.

Então já saímos em direção ao Sul. Nossa primeira parada seria Waitomo Caves. Para não ficar muito puxado, decidimos andar um pouco esse dia, pois ainda não tínhamos dormido decentemente há bastante tempo, e depois terminar a viagem já na manhã do dia seguinte.

Fomos então até um camping perto de Hamilton que ficava a uns 100 km de Auckland. Não me lembro o nome do camping agora.

img_0018a

Esse é o meu quarto de hotel da primeira noite!!! Não vou negar que nesse primeiro dia foi estranho chegar e ver que era esse espaço que eu tinha para passar a noite!

 

Nesse dia só saímos para comer uma coisinha e voltamos para dormir…….

 

Nova Zelândia – 2/11

09/03/2015

 

Acordamos bem cedo e completamos nossa viagem até Waitomo Caves, que era nosso primeiro destino.

Aqui mostro só um pouquinho do esquema da Campervan e de camping, antes de cairmos na estrada…

04-img_0022a

05-img_0024a

06-img_0025a

07-img_0026a

07-img_0027a

08-dsc_0864-2

 

Ainda bem cedinho pudemos apreciar esse visual deslumbrante na estrada

10-dsc_0865-2

11-dsc_0866-2

12-dsc_0871-2

13-dsc_0874-2

14-img_0045

 

 

As cavernas de Waitomo são conhecidas pelos Glowworms que as habitam, que são larvas que emitem luz, assim como um vaga-lume, por exemplo, mas os Glowworms ficam com a luz ligada direto, e não piscando como os vaga lumes.

Eles ficam no teto das cavernas escuras, dando a impressão que estamos olhando para um céu absolutamente estrelado bem acima de nossa cabeça.

 

Lá se pode fazer o passeio tradicional, em cima de um barquinho que vai navegando pelo rio que existe dentro das cavernas, ou em outras atividades mais radicais que eles oferecem, que são bem mais demoradas e caras.

 

Eu optei por fazer o Black Abyss, que é um passeio de aproximadamente 5 horas que inclui rapel para dentro da caverna, tirolesa, boia dentro do rio, caminhadas dentro da caverna e a escalada por uma cachoeira para sair da caverna.

É um passeio sensacional!

A minha única crítica a esse passeio é que não se pode entrar com câmera fotográfica… Eles dão um monte de desculpa e falam que não pode… Aí eles tiram fotos e vendem no final, mas as fotos são muito ruins!!!! Eles dão foco nas pessoas e não nas belezas da caverna, então é um monte de foto escura com a cara da galera… Nada a ver… Aí eu não comprei e acabei ficando sem nenhuma foto do lugar.

Apenas para referência, peguei essas fotos da internet para dar uma ideia do lugar para quem não conhece:

08-waitomo

09-waitomo

 

Bom, mas tudo bem, o passeio é muito bom! Primeiro fazemos um breve treinamento de rapel e começamos a descida para a caverna. Como fui um dos primeiros, fiquei bastante tempo lá em baixo esperando todos descerem. Aí aproveitei para ficar vendo de perto alguns Glowworms que estavam bem pertinho.

Eles são como uma minhoquinha transparente, bem fininha, e com uma pequena parte com alguma pigmentação, e um espaço para a parte que brilha, um ponto pequeno no meio do corpo dela que brilha uma luz meio azulada e bem redondinha.

 

Com todos lá em baixo, iniciamos nossa caminhada pela caverna, e cada vez vamos vendo a caverna mais bonita com os bichos iluminando todo o teto.

 

Então chegamos na tirolesa. Um a um vai descendo com todas as lanternas apagadas, deixando apenas a escuridão e aquele “céu estrelado” incrível! Sensacional!!!!

 

Ali caminhamos mais um pouquinho e paramos para o primeiro lanche.

 

Então começou a parte de passar frio!!! Era o passeio de boia dentro do rio. Pulamos de uma pedra para dentro do rio e começamos a subir o rio, onde chegamos em um pedaço que paramos e ficamos curtindo o lugar… Muito bom… O silencio, o lugar, a escuridão para todos os lados… Muito bom!!!!!!!

 

Começamos então a descer o rio até um ponto que tivemos que deixar as boias e seguir o rio a pé. Caminhamos bastante por dentro do rio em partes mais rasas e alguns pontos mais fundos. Tem até um escorregador em uma parte que foi feita uma barragem. Tem uma parada para lanche também durante a caminhada.

 

Até que chegamos na parte final do passeio. A escalada da cachoeira para sair da caverna.

Vamos tendo que passar por espaços bem estreitos nessa parte final até começar a subir, escalando as pedras até a parte de fora da caverna. Bem legal também! Lindo escalar com a água caindo na nossa cabeça e achar a saída da caverna quando tudo vai ficando claro……. Irado!!!!!

 

E por fim o pessoal nos leva de volta à sede para um último lance e para mostrar as fotos.

 

Foi um passeio sensacional! Foi caro, mas valeu muito a pena!!!!!!

 

De lá tomamos nosso rumo para Rotorua. Inicialmente nossa ideia era passar em Hobbiton nesse meio do caminho, para conhecer as casinhas dos Hobbits, mas pelo que vi era um passeio bem dispensável.

15-img_0048

16-img_0051

 

Chegando em Rotorua, já fiquei de queixo caído de ver o lugar onde passaríamos a noite. Ficamos em um espaço bem de frente para o Lago Rotorua! Era uma vista maravilhosa!

17-img_0052

18-img_0056

Em todos os lugares eu peguei o melhor espaço disponível. Os espaços para Campervans com entrada de energia elétrica são sempre as melhores vagas e eu achei que pegaria um carro com energia, então reservei essas “vagas”. No final das contas não usamos a tomada, mas ficamos nos melhores lugares dos campings, e a diferença era sempre muito pequena da vaga sem tomada, uns NZ$ 5,00 ou menos. Valeu muito a pena!

19-img_0034a

20-img_0035a

 

Estávamos mortos de fome e fomos até o Skyline de lá para comer alguma coisa e passear um pouco.

Skyline é uma montanha com um monte de atrações lá em cima. Pode pagar apenas o teleférico para te levar lá em cima, ou pode-se também comprar alguns combos incluindo as atrações que quiser.

Nós acabamos incluindo o Luge, que é uma espécie de carrinho de rolimã bem mais incrementado.

Aí se desse a montanha a milhão naquele carrinho!!! Bem divertido!!!

 

Bom, subimos e já fomos comer em um dos restaurantes lá de cima. Era um horário meio ruim e não tinham todas opções, mas conseguimos arrumar uma refeição bem gostosa.

21-dsc_0877-2

22-dsc_0879-2

23-dsc_0882-2

24-dsc_0883-2

 

Tinha um monte de tico tico lá em cima que ficava querendo compartilhar a refeição com a gente! Ficaram lá fazendo companhia para nós um tempão enquanto eu dava uns arrozinhos para eles!

 

 

26-dsc_0892-2

27-dsc_0899-2

28-dsc_0902-2

30-dsc_0909-2

31-dsc_0911-2

32-dsc_0912-2

 

Depois fomos brincar no Luge! Tem uma breve explicação de como funciona e depois é montanha abaixo!

Tem 3 ou 4 tipos de pistas desde iniciantes até experts.

Bem divertido!

 

33-dsc_0887-2

33-dsc_0913-2

33-img_0037a

34-img_0036a

35-dsc_0914-2

35-dsc_0915-2

36-dsc_0918-2

37-dsc_0919-2

38-dsc_0920-2

39-img_0038a

40-img_0041a

41-img_0042a

 

Bom, depois disso ficamos mais um tempinho lá em cima e já descemos para voltarmos para o camping.

 

42-dsc_0922-2

43-img_0060

Em todos os lugares tinha um pessoal jogando Rugby!

 

Nessa noite não fizemos nada de mais e só preparamos nossa janta no camping e dormimos.

44-img_0067

 

Nova Zelândia – 3/11

10/03/2015

 

Acordamos bem cedo e de cara já ficamos babando com a cena do sol nascendo no lago bem na nossa frente, com os patos e cisnes… Que espetáculo!

 

001-img_0078

002-img_0079

003-img_0080

004-img_0081

005-img_0082

 

Ficamos curtindo o nascer do sol e depois preparamos nosso café da manhã.

 

006-dsc_0924-2007-dsc_0931-2008-dsc_0932

009-dsc_0935

011-dsc_0938

012-dsc_0939

015-dsc_0946

 

Nosso destino pela manhã era o Wai-O-Tapu, um parque geotermal espetacular com gayser, lagoas coloridas e bastante atividade vulcânica.

017-dsc_0949

 

A primeira atração do dia é ver o gayser principal do parque. Essa é uma atração que acontece logo cedo, e por sorte chegamos a tempo de ver, pois não sabíamos que isso era uma atração com hora marcada.

A erupção do gayser é induzida, então tem toda uma apresentação e então eles jogam um composto que faz o gayser entrar em atividade.

018-dsc_0950

019-dsc_0952

 

A água vai muito alta! Achei bem bacana!

 

021-dsc_0957

022-dsc_0958

023-dsc_0959

024-dsc_0961

025-dsc_0965

026-dsc_0967

 

Nesse dia o primeiro incidente com o carro… Deixei o farol ligado e quando voltei o carro estava sem bateria…

O problema é que quando acaba a erupção do gayser, todo mundo vai embora para a outra pare do parque e o lugar fica abandonado… eu dei sorte de ver o pessoal do parque indo embora e corri lá e consegui avisar que estava sem bateria e precisava de ajuda. O cara, meio na correria, disse ok e voltaria para ajudar, e já vazou……

Na hora não senti firmeza nenhuma. Aí quando todos se foram, ainda sobrou um outro carro sem bateria também. Aí o cara veio falar comigo e ficamos aguardando os caras do parque. Senti até um alivio de não estar lá sozinho e se precisar ter como se separar para ir achar ajuda…

Só que depois de um tempo o cara tentou ligar o carro dele de novo e o carro pegou.

Aí ele foi embora e nós ficamos sozinhos lá!

Mas depois de um tempinho, não é que o cara do parque volta com um negócio de dar carga na bateria! Foi conectar a bateria dele e ligar o carro!!!

Nada como estar no primeiro mundo!!!

Bom, aí finalmente conseguimos seguir o passeio!

027-dsc_0969

 

Então entramos na outra parte de lá, onde vamos seguindo um caminho ao redor do parque que vai passando pelas principais atrações.

São diversos lagos, cada um com uma cor e um cheiro diferente. Um espetáculo!

029-dsc_0977

031-dsc_0982

032-dsc_0984

033-dsc_0985

 

Esse é sem dúvida o mais lindo de todos os lagos. Um monte de cores em uma água quente e cristalina são um show!

035-dsc_0993

036-dsc_0994

037-dsc_0995

038-dsc_0996

039-dsc_0998

040-dsc_1004

041-dsc_1005

042-dsc_1006

044-dsc_0006

045-dsc_0007

046-dsc_0008

047-dsc_0009

048-dsc_0011

049-dsc_0012

050-dsc_0014

051-dsc_0015

052-dsc_0018

053-dsc_0020

054-dsc_0027

055-dsc_0036

 

Esse lago verde também é muito legal!

056-dsc_0038

057-dsc_0043

058-dsc_0046

Cada cor diferente é um minério diferente que está concentrado naquele lugar. Um solo riquíssimo e lindo!

 

Saindo de lá fomo almoçar em um Pub no centro de Rotorua.

059-img_0085

060-img_0086

061-img_0087

 

Eu achei Rotorua bem mais legal do que imaginava. Não esperava encontrar uma cidade tão bacana como ela é.

Passeamos um pouco pela cidade e fomos para o Rainbow Springs Wildlife Park.

 

062-img_0091

 

O Rainbow Springs é um parque mais para família, mas cheio paisagens bonitas, pássaros e coisas para fazer.

Eles são uma das principais entidades de preservação do Kiwi, que é a ave símbolo da Nova Zelândia e está ameaçada de extinção.

Lá então podemos aprender bastante sobre os kiwis e ver alguns deles em um ambiente muito controlado para gerar o mínimo de stress para os bichos.

 

063-img_0095

064-img_0098

 

Esse lugar onde eles ficam é escuro, pois é uma ave noturna e sua visão não é das melhores. E eles ficam uma boa parte de dia dormindo, então não é muito comum ver os bichos passeando pelo lugar.

065-img_0092

 

DICA – No Rainbow Springs, assim como muitos outros lugares que fui, eu comprei o ingresso em um site de desconto. Eu usei muito o Book Me – www.bookme.co.nz – mas existem outros.

Muitas das coisas que se faz por lá você consegue desconto nesses sites. Economizei bastante usando eles!!!!

066-img_0094

067-dsc_0051

069-dsc_0059

070-dsc_0062

071-dsc_0065

072-dsc_0069

073-img_0101

074-img_0102

075-img_0105

076-img_0108

077-img_0109

078-img_0111

079-img_0113

080-img_0114

081-img_0115

082-img_0116

083-img_0118

084-img_0119

085-img_0120

086-img_0121

087-img_0122

088-img_0123

089-img_0126

090-img_0128

091-img_0129

 

Saindo de lá já seguimos nosso caminho até a próxima parada. No dia seguinte iriamos fazer o Tongariro Alpine Crossing, mas pela distância, decidimos dormir um pouco antes de chegar no parque, em Turangi, no extremo sul do Lago Taupo.

092-img_0130

093-img_0135

 

Ainda conseguimos correr até o Lago Taupo esse dia para pegar o pôr do sol.

094-img_0136

095-img_0137

096-img_0138

097-img_0141

098-dsc_0071

099-dsc_0075

101-dsc_0088

 

Depois no camping, curtimos o céu estrelado absurdo daquele lugar…

102-dsc_0093

104-dsc_0096

Nova Zelândia – 4/11

11/03/2015

 

Acordamos bem cedinho para completar nossa viagem e não correr o risco de perder o transporte que havia reservado no Tongariro National Park.

Como iríamos fazer a travessia Tongariro Alpine Crossing, sairíamos de um lugar e chegaríamos em outro. Então ou na ida ou na volta, teríamos que pegar um transporte para nos levar no outro ponto da caminhada.

Escolhemos deixar o carro na saída da travessia e pegar o transporte logo de manhã para o início da travessia. Assim quando chegássemos, já exaustos, iríamos direto para o carro.

Eu consegui deixar reservado com o cara por e-mail, mas tem vaga para quem não reserva e quer pegar na hora. Tem umas 4 empresas que fazem esse transporte lá.

 

No caminho o motorista do ônibus vai explicando as coisas de lá e apesar de ser relativamente seguro, ele deixa bem claro que se alguma atividade vulcânica acontecer, o negócio é correr pela vida!

Eles falam bem sério essa hora!

 

A travessia é pesada… São 20km cheios de subidas e descidas, mudança climática, pisos diferentes… Não é fácil e quem não tem um preparo físico mínimo, não sei se é aconselhável fazer essa trilha.

Não tem absolutamente nada no caminho para vender e as únicas estruturas de apoio são 2 banheiros para todos os 20km.

Já tem que levar toda a água e comida que vai usar nesse dia. São aproximadamente 8 horas de caminhada que o pessoal fala para considerar. Nós fizemos em um pouco menos que isso.

 

 

 

01-dsc_0102

02-dsc_0105

 

Bom, começamos a caminhada… Essa primeira etapa é a mais tranquila… Plana e com um caminho feito pelo pessoal de lá.

03-dsc_0108

04-dsc_0109

05-dsc_0110

06-dsc_0113

 

Vai tudo bem até que se chega a hora de começar a subir naqueles vulcões e montanhas… Tem inclusive uma placa questionando se estamos preparados para continuar!

07-dsc_0114

08-dsc_0115

09-dsc_0116

10-dsc_0118

11-dsc_0119

 

Putz, a partir dali é treta… E vai subindo aquelas montanhas imensas por trilhas estreitas… Que canseira!

12-dsc_0122

13-dsc_0124

 

Aí ainda faço a burrice de deixar minha camiseta cair no caminho… Quando percebo, nós chegamos a cogitar seguir e deixar a camiseta para trás, mas aí um pessoal que estava passando fala que viu minha camiseta um pouco ali para baixo.

14-dsc_0126

 

A Ba que foi buscar, pois ela tem muito mais preparo físico do que eu. Se eu fosse acho que estava lá até hoje!!!

15-dsc_0127

16-dsc_0128

 

E toca nós subindo aquelas montanhas…

17-dsc_0132

18-dsc_0136

19-dsc_0137

20-dsc_0138

21-dsc_0140

22-dsc_0141

23-dsc_0143

24-dsc_0145

25-dsc_0147

26-dsc_0149

27-dsc_0150

 

São diversas formações rochosas e lagoas coloridas que se encontra no caminho.

Eu particularmente gostei muito dessa…

33-img_0145

35-img_0147

 

Bom, mas vamos direto ao ponto…

34-img_0146

32-img_0144

36-dsc_0160

 

Já chegando perto das lagoas com tons de verde e amarelo, tem uma descida bem complicada… Eu tomei um tombo e fiquei com a perna toda ferrada!

28-dsc_0151

29-dsc_0153

30-dsc_0157

31-dsc_0158

37-dsc_0163

38-dsc_0164

39-dsc_0165

40-img_0149

41-dsc_0167

42-dsc_0168

43-dsc_0169

44-dsc_0171

45-dsc_0172

46-dsc_0173

47-dsc_0174

48-dsc_0175

 

Aí paramos um pouco nas lagoas para tirar umas fotos e descansar um pouquinho.

49-dsc_0179

50-dsc_0182

51-dsc_0184

52-dsc_0185

53-dsc_0186

54-dsc_0187

55-dsc_0188

56-dsc_0190

57-dsc_0193

58-dsc_0195

59-dsc_0196

 

Mais para frente passamos por essa lagoa azul, muito bonita também.

Nesse ponto já estávamos em uma altitude bem mais elevada e o frio começou a apertar.

60-dsc_0197

61-dsc_0198

62-dsc_0200

63-dsc_0201

64-64dsc_0202

65-dsc_0206

 

Nessa altura eu já estava bem cansado e cada vez menos tinha pique para tirar fotos! Então tenho poucos registros dessa parte para o final da caminhada.

66-dsc_0211

67-dsc_0214

68-dsc_0221

69-dsc_0223

70-dsc_0227

71-dsc_0228

72-dsc_0229

74-dsc_0230

 

Em um determinado momento da descida, mais para o final da caminhada, o ambiente muda completamente. Já é uma parte mais quente e úmida, e cresce muita vegetação, inclusive árvores altas…

É muito louco essa hora… Você sai de um deserto frio para uma “floresta tropical” em uns 10 minutos de caminhada.

75-img_0150

76-img_0153

 

Fiz um amiguinho no caminho também.

77-img_0158

78-img_0160

 

Bom, seguimos caminhando em uma trilha que parecia que não teria fim… Tinha uns momentos da caminhada que era engraçado… Tem umas placas que faltam 10 km que nunca acabam… A gente andava e quando aparecia uma placa, ainda faltava 10 km!!! Era desesperador!!! Ficou assim por um tempão!!!

79-img_0164

80-img_0166

81-img_0167

 

Bom, já achando que jamais sairia daquela trilha, chegamos ao fim!

Já estava com muita dor nos pés e no joelho. Foi uma sensação ótima conseguir chegar ao fim da trilha.

82-img_0169

83-img_0170

 

O chato é que ainda tínhamos um bom tempinho de viagem até o lugar que passaríamos a noite, em Whanganui, no litoral oeste da ilha norte.

Mas tudo bem, estava cansado, mas ainda tranquilo para dirigir.

 

Saindo do Tongariro National Park acabamos dando carona para um casal de alemães que tinham feito a trilha também.

Fomos conversando bastante com eles e foi uma conversa muito bacana! Falando de coisas da Alemanha e do Brasil… Bem interessante. Claro que o 7 x 1 não ficou de fora da conversa! Mas para minha sorte nós dois estávamos torcendo para a Alemanha! Então a conversa foi mais fácil!!!

 

Deixamos eles em seu destino e depois de um tempo chegamos em Whanganui. Era uma cidade bem arrumadinha, mas não conseguimos aproveitar nada de lá… Estávamos exaustos.

 

Aqui foi uma parada no caminho para repor as energias com um belo prato gorduroso de Fish n’ Ships

84-img_0052a

 

A cidade que ficamos era bonitinha, bem organizada e o camping também era bacana. Mas nesse dia não tinha como sair para conhecer a cidade…

Comemos um negócio e fomos dormir.

85-img_0171

86-img_0174

87-img_0177

89-img_0181

 

 

 

 

Nova Zelândia – 5/11

 

12/03/2015

 

Nesse dia ainda tínhamos uma longa viagem pela frente. Iriamos até Wellington, devolveríamos a campervan, pegaríamos a ferry para fazer a travessia da Ilha Norte para a Ilha Sul, chegando em Picton.

Lá alugaríamos o carro e seguiríamos até Kaiteriteri, na entrada do Abel Tasman National Park, ainda considerando uma parada em Nelson no caminho.

 

Ainda antes de sair recebemos a visita de um amigo que foi dar tchau para nós!

001-img_0053a

003-img_0055a

 

Bom, pé na estrada… Calculei mais ou menos o tempo com alguma folga e lá fomos nós…

 

O problema foi que em Wellington pegamos um trânsito enorme… Eu já estava vendo que perderíamos a balsa…

O pior é que o local de devolução da campervan não era próximo ao embarque da ferry. Foi um sufoco, ainda tendo que parar no posto para abastecer e tudo…

Quando chegamos na Jucy, já joguei tudo para fora do carro, pedi um taxi e nem consegui ver direito se tinha tirado tudo do carro… Foi na sorte!

 

Falei para o taxista que estávamos muito atrasado e ele deu uma aceleradinha para adiantar nosso lado!

Assim que chegamos no balcão de check in da balsa, já chegamos correndo e o cara do balcão já pergunta de longe ainda… “Felipe e Barbara?”, segurando nossos tickets na mão…

Éramos os últimos chegando para embarcar!!! Foi por muita sorte que não perdemos o ferry!

 

Era uma balsa bem grande… Nos andares de baixo ficam os carros, e nos andares mais altos as pessoas.

Tem um monte de coisa lá dentro, inclusive uma sala que passa um filme para quem quiser assistir.

 

Eu preferi dar uma relaxada e tirar umas fotos da travessia, que dura umas 3 horas.

 

004-img_0056a

005-img_0059a

006-img_0060a

007-img_0187

008-img_0191

009-img_0193

010-img_0194

011-img_0199

012-img_0200

Já a Ba……

013-img_0197

 

014-img_0201

 

Quando chegamos em Picton, pagamos o nosso carro velhinho (que era mais barato) e já saímos.

Picton é uma cidade pequena e bonitinha!

 

 

Nossa primeira parada foi em uma das diversas vinícolas que existem naquela região. Era um lugar muito bonito e com degustação de queijos.

015-img_0202

016-img_0203

017-img_0204

019-img_0207

020-img_0208

021-img_0209

022-img_0211

023-img_0212

024-img_0213

025-img_0215

 

Depois paramos já em Nelson para comer e conhecer um pouco a cidade.

 

026-img_0063a

027-img_0065a

028-img_0068a

029-img_0069a

030-img_0070a

 

Fomos então para Kaiteriteri, onde ficaríamos em um camping também, só que dessa vez em um pequeno chalé.

031-img_0072a

032-img_0074a

033-dsc_0231

 

Kaiteriteri é um dos lugares onde o pessoal fica hospedado para entrar no Abel Tasman National Park.

Nosso camping era grande e bem localizado. Uma praia bem bonita na frente!

034-dsc_0235

035-dsc_0241

 

Logo que chegamos já saímos para dar uma volta, mas já era o final do dia e acabamos não ficando muito passeando.

036-dsc_0242

037-dsc_0243

038-dsc_0246

039-dsc_0247

040-dsc_0249

041-dsc_0250

042-dsc_0251

043-dsc_0253

044-img_0075a

 

13/03/2015

 

Nesse dia acordamos cedo, comemos alguma coisinha rápida que compramos em um mercadinho do lado do camping.

Dei uma passada rápida na praia para acompanhar o nascer do sol.

045-img_0217

045-img_0218

045-img_0220

045-img_0220

 

Antes de sair ainda ficamos brincando um pouco com os patos que moram lá!

045-img_0221

 

Fomos então em direção ao Abel Tasman Park. Lá fizemos uma rápida pesquisa entre as empresas que ofereciam passeios de caiaque e acabamos fechando com um cara bem bacana.

Eles oferecem alguns tipos de passeios, que podem durar até alguns dias. Tem até a opção de ir até o fim do parque de caiaque e voltar a pé.

O parque possui inúmeras praias e cada uma delas tem um espaço delimitado para acampar, com um limite de barracas por praia.

O nosso era só um passeio de 1 dia. Saímos de manhã e voltamos de tarde.

 

045-img_0223

046-img_0224

047-img_0225

048-img_0226

049-img_0227

 

Eu sei que esse passeio foi sensacional! Curtimos de mais o Abel Tasman… Foi um dos lugares que falamos que gostaríamos de voltar um dia para aproveitar mais… Que lugar!!!!

050-img_0228

 

Fomos remando por lá, parando nas praias que achávamos mais bonitas, mas mesmo assim tivemos que escolher muito, pois todas as praias eram lindas e não tínhamos tempo para parar em todas.

051-img_0232

052-img_0233

053-img_0234

054-img_0236

055-img_0237

056-img_0240

057-img_0241

058-img_0242

059-img_0244

060-img_0246

061-img_0248

062-img_0252

063-img_0254

 

Fomos até uma ilha onde ficam um monte de focas. Ficamos lá vendo as belezinhas pegando sol, nadando e brincando pertinho de nós.

064-img_0258

065-img_0266

066-img_0270

067-img_0271

068-img_0272

069-img_0280

070-img_0286

071-img_0290

072-img_0293

 

Voltamos então para o continente onde fizemos nosso picnic de almoço

073-img_0295

074-img_0297

075-img_0299

 

Depois de almoçar e relaxar um pouquinho, iniciamos nosso caminho de volta. Estávamos longe e nem sabíamos direito chegar no lugar de devolver os caiaques.

076-img_0301

077-img_0303

078-img_0304

079-img_0309

080-img_0310

081-img_0311

082-img_0314

083-img_0319

084-img_0322

085-img_0323

 

Já na parte final da volta começa a cair uma tempestade que a gente não consegue enxergar um palmo para frente do caiaque que era tudo que a gente precisava para acabar de ferrar tudo!!!

A maré está bem cheia na hora da volta, e o cara que alugou o caiaque já tinha avisado que o cenário seria bem diferente na volta.

Já estava vendo que eu ia ter que estourar um daqueles sinalizadores para o cara ir nos resgatar!!!!

Até que uma hora lá eu vi umas pessoas saindo da água. Não eram as mesmas pessoas que estavam conosco no início, mas até por não ter mais forças para continuar remando, parei por lá mesmo para ver o que ia dar. Por sorte, era o pessoal que tínhamos que encontrar mesmo!!!

Aí voltamos para a loja deles, tomamos um banho lá e seguimos nosso caminho.

086-dsc_0254

087-dsc_0255

 

No caminho uma parada para um sorvete no meio da plantação de maças!

088-img_0081a

089-img_0082a

090-img_0085a

091-img_0087a

092-img_0088a

 

Fomos até Blenheim ainda esse dia, que não é tão pertinho assim de onde estávamos. Era o meio do caminho até Kaikoura, nosso próximo destino.

093-img_0093a

094-img_0091a

 

Lá, pegamos esse céu nos esperando…

095-dsc_0257

 

 

 

 

 

 

Nova Zelândia – 6/11

14/03/2015

 

De manhã só demos uma passada rápida para conhecer a mascote do camping, o Eddie, uma enguia de estimação!

01-img_0325

02-img_0326

03-img_0329

04-img_0333

 

Fomos então em direção a Kaikorua.

05-img_0334

06-img_0335

 

Logo na entrada da cidade para quem vem do norte, como nós, tem um lugar bem bacana: O Ohau Waterfall Walk and Seal Pups. É uma pequena trilha na margem de um rio com uma cachoeira no final.

07-img_0342

 

Esse riozinho é um berçário de focas. Diversas foquinhas ficam por lá…

08-img_0344

 

A primeira que encontramos estava se divertindo horrores com um pedacinho de mato que caiu dentro da água. Estava muito divertido de ver!

09-img_0347

10-img_0350

11-img_0352

12-img_0354

13-img_0355

 

Fomos até a cachoeira, mas não ficamos muito, pois estava chovendo.

 

14-img_0358

15-img_0359

16-img_0360

17-img_0368

 

Na volta paramos mais um pouco para apreciar as foquinhas brincando.

O mais bacana foi quando uma delas, bem curiosa, decidiu sair da agua para ver o que eram aqueles bichos que ficavam lá parados olhando para ela que nem bobos! 😉

Ela saiu e só faltou deitar no colo da gente… Se a gente não se afastasse um pouco, acho que ela ia deitar e pedir cafuné!!!!

18-img_0370

19-img_0371

20-img_0375

21-img_0376

 

Que coisa linda!!!!

22-img_0380

23-img_0382

24-img_0384

25-img_0385

26-img_0096a

26-img_0097a

26-img_0101a

26-img_0388

 

Do outro lado da estrada é onde fica toda a colônia de focas.

27-dsc_0258

28-dsc_0261

29-dsc_0266

30-dsc_0268

31-dsc_0270

 

Fomos então até nossa pousada fazer o check in e deixar nossas coisas. De tarde tínhamos um passeio de caiaque agendado.

O almoço foi na agência onde fechamos os passeios.

032-img_0005

 

Esse dia estava muito frio. Pedimos umas roupas extras para o pessoal do caiaque para garantir que não passaríamos frio dentro da água.

32-img_0389

33-img_0390

34-img_0391

35-img_0393

36-img_0396

37-img_0398

38-img_0399

39-img_0400

40-img_0401

41-img_0402

 

Como o tempo estava ruim, o mar estava bem agitado… Tivemos que brigar com umas ondas relativamente grandes durante o passeio.

42-img_0403

43-img_0404

44-img_0405

45-img_0406

46-img_0408

 

Encontramos até uma foca fazendo yoga que ficou lá fazendo pose para nós um tempão!!!

47-img_0409

48-img_0411

49-img_0413

50-img_0414

51-img_0416

52-img_0419

53-img_0421

54-img_0423

55-img_0426

56-img_0427

57-img_0428

58-img_0431

 

Na volta o empo já tinha melhorado bem e nem estávamos mais passando frio.

59-img_0106a

60-img_0108a

 

Quando voltamos para a pousada, fomos usar a Jacuzzi aquecida que eles tinham no quintal! Foi bem relaxante!!!!

61-img_0115a

62-img_0435

63-img_0438

64-img_0439

65-img_0440

66-img_0442

67-img_0117a

68-img_0120a

 

Aí uma cervejinha para fechar a noite!

069-img_0121a

Nova Zelândia – 7/11

15/03/2015

 

Nosso primeiro compromisso esse dia foi a saída para avistar baleias. O negócio começa muito cedo… Antes do sol nascer já estávamos lá no lugar da saída do barco.

A parte boa foi que acompanhamos um lindo nascer do sol!

001-dsc_0271

002-dsc_0272

003-dsc_0273

 

Quando saímos, demoramos um pouco até encontrar a primeira baleia, mas finalmente encontramos. Foi a primeira vez que eu vi uma baleia, apesar de ter tido algumas outras oportunidades que por conta de um azar inacreditável nunca as tinha encontrado.

004-dsc_0275

005-dsc_0276

006-dsc_0277

007-dsc_0279

008-dsc_0281

009-dsc_0285

010-dsc_0287

011-dsc_0290

012-dsc_0294

013-dsc_0295

014-dsc_0296

015-dsc_0297

017-csc_0952

018-dsc_0299

 

Essa foi a segunda baleia que avistamos…

019-dsc_0300

020-dsc_0301

021-dsc_0302

022-dsc_0305

023-dsc_0306

024-dsc_0307

025-dsc_0312

026-csc_0951

028-dsc_0319

029-dsc_0321

 

No caminho de volta, fomos escoltados por diversos golfinhos, que mais tarde os encontraríamos de perto!

031-csc_0950

033-dsc_0333

034-dsc_0336

035-dsc_0337

 

Bom, chegamos e fomos almoçar antes de sair para um dos melhores passeios da viagem, que era nadar com os golfinhos.

036-img_0443

037-dsc_0344

038-dsc_0345

039-dsc_0346

040-dsc_0347

041-dsc_0349

 

Diferente desses programas que existem em Cancun, Bahamas e outros, lá o negócio era no meio do mar, com golfinhos selvagens. O pessoal simplesmente te solta no meio do mar e você que se vire para atrair a curiosidade dos golfinhos.

 

042-img_0449

043-img_0455

044-img_0457045-img_0461

046-img_0462

 

A água estava bem fria, mas nadar com centenas de golfinhos não é algo que podemos fazer todo dia… Nem me preocupou o frio do mar.

047-img_0463

 

Não tem nem muito como descrever como foi bom esse passeio…

Consegui fazer um ou outro parar por alguns segundos perto de mim, mas a maior parte do tempo eles simplesmente passam por você, inclusive dando uns pulos bem perto da galera, que chegam a assustar… Se um bicho daquele tamanho cai em cima de uma pessoa, acho que é game over…

 

048-img_0464

049-img_0465

050-img_0466

051-img_0467

052-img_0471

053-img_0472

054-img_0474

 

 

 

Na volta ainda podemos curtir mais um pouco do show deles!

055-img_0475

056-csc_0949

057-csc_0947

058-dsc_0360

059-csc_0946

061-csc_0945

062-dsc_0375

063-csc_0944

065-dsc_0379

 

Bom, missão cumprida!

Kaikoura foi um sofrimento para conseguir encaixar no roteiro, mas depois desses dois dias por lá, tive certeza que foi a melhor decisão!

Tive que tirar algumas coisas importantes do roteiro, que vão ficar para uma próxima visita, mas Kaikorua valeu muito!!!!

066-img_0125a

067-img_0126a

 

 

Partimos então para Waikuku, local onde passaríamos a noite, uns 20km ao norte de Christchurch.

068-dsc_0381

068-img_0128a

068-dsc_0385

069-dsc_0386

 

 

16/03/2015

 

Antes de seguir nossa viagem, fomos passear um pouco na praia em frente a nosso camping. O dia não amanheceu muito bonito e o tempo iria só piorar.

 

071-img_0478

072-img_0482

073-img_0484

074-img_0489

075-img_0491

076-img_0493

077-img_0494

078-img_0495

079-img_04982

080-img_0509

 

Esse seria um dia de um passeio rápido por Christchurch e embarque em nosso voo para Queenstown.

Mas no final não foi tudo como planejávamos.

 

Bom, chegamos em Christchurch e fomos conhecer um dos parques principais da cidade, onde fica o Jardim Botânico da cidade.

081-img_0139a

081-img_0510

082-img_0511

083-img_0515

084-img_0516

085-img_0518

086-img_0134a

086-img_0519

088-img_0521

089-img_0524

090-img_0525

091-img_0526

 

Acabamos ficando um bom tempo por lá, então depois só fomos dar uma volta na cidade de carro mesmo e fomos para o aeroporto.

092-img_0530

093-img_0531

094-img_0533

095-img_0535

096-img_0536

097-img_0538

098-img_0539

099-img_0541

100-img_0542

101-img_0543

102-img_0546

103-img_0547

104-img_0548

105-img_0557

106-img_0558

107-img_0559

108-img_0560

 

Só que na hora de embarcar, tivemos uma péssima notícia… Nosso voo foi cancelado por questões climáticas. Para piorar, não tinham mais voos para Queenstown aquele dia.

Quando o pessoal chamou todo mundo para tentar resolver o problema, eles explicaram algumas condições de quem ganharia a hospedagem de graça, pois quando o cancelamento é por condição climática, eles não são obrigados a dar hospedagem.

Bom, conversei com uma pessoa que me informou que não iriam me dar hospedagem e tinha que decidir como que queria fazer com o voo. Aí saí da fila para pensar um pouco, pois cogitei até ir de carro, mas depois desistimos e decidimos pegar o primeiro voo na manhã seguinte. Aí voltei para a fila e quando fui atendido para dizer que queria pegar esse voo da manhã seguinte, a menina me deu meus tickets e me deu a hospedagem também! Acabamos tendo uma noite ótima em um hotel muito bom! Para quem só estava dormindo dentro de carro e em alojamentos minúsculos, foi sensacional! Como o dia estava horrível, não fizemos nada e só ficamos descansando no hotel!