Nova Zelândia – 4/11

11/03/2015

 

Acordamos bem cedinho para completar nossa viagem e não correr o risco de perder o transporte que havia reservado no Tongariro National Park.

Como iríamos fazer a travessia Tongariro Alpine Crossing, sairíamos de um lugar e chegaríamos em outro. Então ou na ida ou na volta, teríamos que pegar um transporte para nos levar no outro ponto da caminhada.

Escolhemos deixar o carro na saída da travessia e pegar o transporte logo de manhã para o início da travessia. Assim quando chegássemos, já exaustos, iríamos direto para o carro.

Eu consegui deixar reservado com o cara por e-mail, mas tem vaga para quem não reserva e quer pegar na hora. Tem umas 4 empresas que fazem esse transporte lá.

 

No caminho o motorista do ônibus vai explicando as coisas de lá e apesar de ser relativamente seguro, ele deixa bem claro que se alguma atividade vulcânica acontecer, o negócio é correr pela vida!

Eles falam bem sério essa hora!

 

A travessia é pesada… São 20km cheios de subidas e descidas, mudança climática, pisos diferentes… Não é fácil e quem não tem um preparo físico mínimo, não sei se é aconselhável fazer essa trilha.

Não tem absolutamente nada no caminho para vender e as únicas estruturas de apoio são 2 banheiros para todos os 20km.

Já tem que levar toda a água e comida que vai usar nesse dia. São aproximadamente 8 horas de caminhada que o pessoal fala para considerar. Nós fizemos em um pouco menos que isso.

 

 

 

01-dsc_0102

02-dsc_0105

 

Bom, começamos a caminhada… Essa primeira etapa é a mais tranquila… Plana e com um caminho feito pelo pessoal de lá.

03-dsc_0108

04-dsc_0109

05-dsc_0110

06-dsc_0113

 

Vai tudo bem até que se chega a hora de começar a subir naqueles vulcões e montanhas… Tem inclusive uma placa questionando se estamos preparados para continuar!

07-dsc_0114

08-dsc_0115

09-dsc_0116

10-dsc_0118

11-dsc_0119

 

Putz, a partir dali é treta… E vai subindo aquelas montanhas imensas por trilhas estreitas… Que canseira!

12-dsc_0122

13-dsc_0124

 

Aí ainda faço a burrice de deixar minha camiseta cair no caminho… Quando percebo, nós chegamos a cogitar seguir e deixar a camiseta para trás, mas aí um pessoal que estava passando fala que viu minha camiseta um pouco ali para baixo.

14-dsc_0126

 

A Ba que foi buscar, pois ela tem muito mais preparo físico do que eu. Se eu fosse acho que estava lá até hoje!!!

15-dsc_0127

16-dsc_0128

 

E toca nós subindo aquelas montanhas…

17-dsc_0132

18-dsc_0136

19-dsc_0137

20-dsc_0138

21-dsc_0140

22-dsc_0141

23-dsc_0143

24-dsc_0145

25-dsc_0147

26-dsc_0149

27-dsc_0150

 

São diversas formações rochosas e lagoas coloridas que se encontra no caminho.

Eu particularmente gostei muito dessa…

33-img_0145

35-img_0147

 

Bom, mas vamos direto ao ponto…

34-img_0146

32-img_0144

36-dsc_0160

 

Já chegando perto das lagoas com tons de verde e amarelo, tem uma descida bem complicada… Eu tomei um tombo e fiquei com a perna toda ferrada!

28-dsc_0151

29-dsc_0153

30-dsc_0157

31-dsc_0158

37-dsc_0163

38-dsc_0164

39-dsc_0165

40-img_0149

41-dsc_0167

42-dsc_0168

43-dsc_0169

44-dsc_0171

45-dsc_0172

46-dsc_0173

47-dsc_0174

48-dsc_0175

 

Aí paramos um pouco nas lagoas para tirar umas fotos e descansar um pouquinho.

49-dsc_0179

50-dsc_0182

51-dsc_0184

52-dsc_0185

53-dsc_0186

54-dsc_0187

55-dsc_0188

56-dsc_0190

57-dsc_0193

58-dsc_0195

59-dsc_0196

 

Mais para frente passamos por essa lagoa azul, muito bonita também.

Nesse ponto já estávamos em uma altitude bem mais elevada e o frio começou a apertar.

60-dsc_0197

61-dsc_0198

62-dsc_0200

63-dsc_0201

64-64dsc_0202

65-dsc_0206

 

Nessa altura eu já estava bem cansado e cada vez menos tinha pique para tirar fotos! Então tenho poucos registros dessa parte para o final da caminhada.

66-dsc_0211

67-dsc_0214

68-dsc_0221

69-dsc_0223

70-dsc_0227

71-dsc_0228

72-dsc_0229

74-dsc_0230

 

Em um determinado momento da descida, mais para o final da caminhada, o ambiente muda completamente. Já é uma parte mais quente e úmida, e cresce muita vegetação, inclusive árvores altas…

É muito louco essa hora… Você sai de um deserto frio para uma “floresta tropical” em uns 10 minutos de caminhada.

75-img_0150

76-img_0153

 

Fiz um amiguinho no caminho também.

77-img_0158

78-img_0160

 

Bom, seguimos caminhando em uma trilha que parecia que não teria fim… Tinha uns momentos da caminhada que era engraçado… Tem umas placas que faltam 10 km que nunca acabam… A gente andava e quando aparecia uma placa, ainda faltava 10 km!!! Era desesperador!!! Ficou assim por um tempão!!!

79-img_0164

80-img_0166

81-img_0167

 

Bom, já achando que jamais sairia daquela trilha, chegamos ao fim!

Já estava com muita dor nos pés e no joelho. Foi uma sensação ótima conseguir chegar ao fim da trilha.

82-img_0169

83-img_0170

 

O chato é que ainda tínhamos um bom tempinho de viagem até o lugar que passaríamos a noite, em Whanganui, no litoral oeste da ilha norte.

Mas tudo bem, estava cansado, mas ainda tranquilo para dirigir.

 

Saindo do Tongariro National Park acabamos dando carona para um casal de alemães que tinham feito a trilha também.

Fomos conversando bastante com eles e foi uma conversa muito bacana! Falando de coisas da Alemanha e do Brasil… Bem interessante. Claro que o 7 x 1 não ficou de fora da conversa! Mas para minha sorte nós dois estávamos torcendo para a Alemanha! Então a conversa foi mais fácil!!!

 

Deixamos eles em seu destino e depois de um tempo chegamos em Whanganui. Era uma cidade bem arrumadinha, mas não conseguimos aproveitar nada de lá… Estávamos exaustos.

 

Aqui foi uma parada no caminho para repor as energias com um belo prato gorduroso de Fish n’ Ships

84-img_0052a

 

A cidade que ficamos era bonitinha, bem organizada e o camping também era bacana. Mas nesse dia não tinha como sair para conhecer a cidade…

Comemos um negócio e fomos dormir.

85-img_0171

86-img_0174

87-img_0177

89-img_0181

 

 

 

 

Anúncios

Peru, Bolívia e Chile – Parte 8

01/06/2009 – Dia 17 – Salar de Uyuni

De volta a Bolívia!!!

Sabíamos que o principal perrengue dessa viagem estava reservado para os próximos 4 dias e nesse aspecto, a Bolívia nunca decepciona! Perrengue é com eles! 😉

Pela Cordillera, estava tudo incluído, como taxas e entradas nos parques… Não tivemos que pagar mais um centavo dessas coisas… Gastamos mais com banheiros mesmo.

A comida também foi satisfatória, apesar das condições de higiene questionáveis que eram preparadas.

E as cagadas dos caras não era exclusividade dessa companhia, então acho que foi uma boa escolha a Cordillera Tour.

Tudo arrumado e lá vamos nós! A primeira parada é sem dúvida muito simbólica e mostra o que nos aguardava pela frente. A imigração boliviana. Eu não me canso dessa foto:

Lá houve a separação dos carros e demos sorte nesse momento… Nosso carro era muito mais legal que o outro… Nós 3 brasileiros e outros 3 franceses, sendo que um casal muito gente boa formamos um carro. O outro tinha só 5 pessoas, e um tédio louco! Eram 3 ingleses, uma francesa e um australiano que moravam na Inglaterra. O australiano e a francesa, que eram um casal, eram gente boa, principalmente o cara, mas acabavam ficando contagiado pelos ingleses… Tinha hora que passávamos por eles e parecia que estavam assistindo uma peça de teatro…

No nosso carro só som alto e o pessoal sempre empolgado fazendo e falando alguma coisa… Várias risadas nesse passeio! E sempre embalados pelos hits da Bolívia!

 

A primeira parada é para preencher um formulário e pagar a entrada nesse parque nacional por onde tínhamos que passar. Não tínhamos que desembolsar nada ali, pois já estava incluída. Aproveitamos para ir ao banheiro………….. Aí, mais história para contar!!! Hahaha!!!

Esse banheiro é interessante… Como todos por lá é pago, mas dá direito a um pedaço de papel higiênico!!!!!!!!!!!!!!! Bom, como ele mede a sua parte que é legal… Ele estica por cima da mesa onde está e mede o comprimento da mesa…… Perfeccionistas que são, para não ter erro, claro, ele passa aquela mão imunda que ele não deve lavar mais que uma vez por mês pelo papel para deixar bem esticadinho em cima da mesa!!!!!!!!!! E vai esticando!!!! Aí, não contente, ele vai dobrando ao meio e repetindo a passada de mão por todo o papel que ele te entrega………

Juro, na hora que eu vi eu achei que era brincadeira e ele iria me dar outro depois! Nojento!!!
Ainda bem que eu tinha o meu! 😉

 

As lagunas desse passeio são, sem dúvida nenhuma, partes principais de todo o tour… O Salar é coisa de outro mundo, mas sem as lagunas o passeio não seria nem de perto o mesmo.

Nossa primeira parada foi na Laguna Branca. Linda e curiosa! É branquinha mesmo!!!!! E era só o começo!

 

Então a Laguna Verde. Essa é sensacional! Aquela cor com o vulcão atrás… Difícil imaginar que estaríamos em um lugar como esse até o dia que embarcamos em uma viagem dessa!!!

 

Um problema… Ela ainda não estava no tom mais forte do verde… Isso vai acontecendo durante o dia de acordo com alguns fatores, como vento.

Tanto na Laguna Verde como na Laguna Colorada, o tour não passa nos melhores horários… Isso é ridículo! Eles tinham que dar um jeito para vermos esses lugares em sua plenitude… Mas…….. Sabemos como as coisas são por lá…

Uma pena.

Mesmo assim, não dá para reclamar, né?!

 

Então paramos no Deserto de Dali. Para alguém que nunca havia estado em um deserto até essa viagem, curti muito o lugar…

Aquilo tudo era deserto de verdade!!!!! Um lugar espetacular onde praticamente nada consegue sobreviver… Paisagens únicas e maravilhosas. Curti muito!

 

Depois paramos em umas termas. Os europeus sempre entravam nessas coisas! Os caras não sentem frio!!!! Eu, mais uma vez, perdi para ele! Fiquei só olhando!

 

Então fomos aos Geysers Sol de la Mañana. Muito legal o lugar e muito diferente dos outros geysers de San Pedro. Não deixem de ver um porque já vão ver o outro… Não tem nada a ver.

Aqui é uma espécie de atividade vulcânica… Pelo que entendi é uma boca de vulcão mesmo, com umas aberturas. O cara falou que existe o risco (mínimo) de alguma parte ceder e cairmos dentro daquele negócio.

Podemos andar por tudo lá e não me parece boa idéia entrar em contato com aquele treco (Não sei o que é… Lama? Lava? Sei lá) Tem duas cores… Uma mais cor de terra e outra mais cor de argila. Não sei o que é cada um…

 

Então fomos em direção ao alojamento da Laguna Colorada.

É possível avistar a Laguna Colorada, mas os caras não passam nem perto com o carro. Ela estava bem vermelha nesse horário, mas os caras inventam uma história que estava ventando muito e então não iriam até lá.

Já fiquei meio puto, pois essa laguna foi um dos principais motivos de minha viagem… Mas tudo bem… Sabia que veria com calma no outro dia…

Só não sabia que de manhã não é o melhor horário e ela ainda não estava com sua coloração completa…

Nossa, é revoltante isso… Na tarde anterior não fomos porque ventava muito, e na manhã nos contavam que não estava vermelhona porque ainda não tinha ventado muito… Bando de imbecis preguiçosos…
Não custava nada dar um pulo com a gente quando chegamos no alojamento… Ainda era 4 da tarde… Tinha tempo de sobra depois para fazer nada no alojamento, que era o que tinha para fazer lá…

Bom, nesse dia fiquei só com o gostinho de avistar de longe a laguna…

Comemos relativamente bem. Só que o frio veio para arrebentar! Fez -15 nessa noite… Passei muito mal de frio…

Cheguei a colocar todos os meus agasalhos juntos… Mesmo assim não melhorava… Foi bem ruim… Ficava andando de um lado para o outro para ver se ajudava um pouco… Fui melhorar só depois que consegui dormir.

A Débora dormiu com 2 sacos de dormir… Nem sei se adianta, mas ela não teve dúvida… Usou o dela e alugou outro lá!!!!!!!!!

Tem sacos de dormir para alugar lá… Não sei se tem para todo mundo… Até acho que não. Quando o cara nos ofereceu, já pegamos logo! Diferente da Débora, eu não havia levado saco de dormir… Ah, mas levei uma fronha de travesseiro para usar nos lugares todos… Estávamos em um deserto, indo para um deserto de sal… Roupa de cama lá deve ver água uma vez por semestre, se muito. Usei direto a fronha! Valeu muito tê-la levado!!!!!! Parece frescura, mas tinha cada lugar…

 

 

02/06/2009 – Dia 18 – Salar de Uyuni

 

Depois de um frio do cão como o da noite anterior, queria logo sair para a Laguna. O problema foi que demorou um pouco até os caras colocarem o carro para funcionar… O frio arrebenta até o carro.
Tinha um galão de água dentro do carro que amanheceu uma grande pedra de gelo.

A Laguna Colorada, mesmo em horários menos propícios, é sensacional… Queria ficar a manhã inteira ali. A nascente, perto das margens é quente, mas no meio estava toda congelada. Poucos Flamingos ainda estavam por ali, mas suficientes para deixarem aquele lugar mais espetacular ainda.

       

 

Poucas palavras descrevem esse lugar.

Depois de muito tempo andando por ali, já na hora de ir embora, achei um ovo de Flamingo… Tadinho, estava congelado! Uma pena.

 

Aí paramos no Arbol de Piedra. Muito legal o lugar! Mas estava lotado! Não sabia de onde vinha tanta gente… Estávamos no meio do nada!!!!

Nesses lugares essas antas chegam no horário de pico…….

Ótimas fotos, apesar de ter que entrar na fila para algumas… Tinha um pessoalzinho bem sem noção lá.

 

Depois uma sequencia de 4 lagunas, não tão belas quanto as anteriores, mas certamente com sua beleza. São as lagunas Chiarkota, Honda, Hedionda e Cañapa.

 

Almoçamos em uma delas, mas não me lembro qual.

Nesse dia eu fiz a besteira de ir dar uma olhada nos caras preparando a salada… Foi uma pena que eu não estava com minha máquina na hora… Seria uma foto daquelas de exposição sobre “fome” ou “3o. mundo”… Hahahaha!

Sério, dava para ver um pouquinho, mas bem pouquinho, da unha do cidadão no meio da graxa, terra e todo o tipo de sujeiras ali reunidas… Foi engraçado até… Fiquei falando pro pessoal no meio do almoço para olharem para a unha do cara e imaginar ele cortando o tomate e o pepino que estávamos comendo!!!!!

Depois ficamos interagindo com uma biscatcha que morava ali e se juntou a nós durante o almoço!

 

Que coisa mais linda!

 

 

 

O caminho é fora de série…

 

Chegamos então ao Hotel de Sal. Era bem desanimadora a imagem dele por fora, mas por dentro era bem legal! Um dos motivos de escolher a Cordillera era porque eles tinham essa noite no hotel de sal. Pô, quando teria outra oportunidade de ficar em um lugar assim. Não poderia perder essa chance! E valeu!!!

Por fora…

 

Por dentro…

Acorda Evandro!!!!!

 

 

Lá tinha banheiro com chuveiro de água quente. Um só, mas tudo bem! Era disso que precisava! Um banho quente!

 

Nesse hotel os caras cobram para carregar as baterias da máquina. Acho que era $ 5,00. Não tem tomada nos quartos. Achei o cúmulo isso. Eles sabem que vínhamos de um dia inteiro sem tomadas e no dia seguinte alcançaríamos o salar e ninguém quer ficar sem bateria nesse dia.

 

Eu ainda tinha um pouco e me recusei a carregar lá… Bando…

 

 

03/06/2009 – Dia 19 – Salar de Uyuni

 

Nesse dia alcançaríamos o Salar de Uyuni. Estávamos muito ansiosos por isso, mas o dia começou com uma noticia nada animadora. Manifestantes bloquearam as entradas do Salar e da cidade de Uyuni. O Pablo, nosso motorista, conhecia bem a região e disse então que pegaria alguns caminhos alternativos para tentar entrar no Salar. Achamos ótima essa ideia e partimos para lá. Foi meio tenso o caminho.
O Pablo estava nitidamente desconfortável com aquela situação. Mas depois de inúmeros solavancos por caminhos que só ele via, entramos no Salar. Aí foi só alegria!!!!

 

Slalar!!!

 

Pena que teve alegria até de mais… O Javier, motorista do outro carro, ficou a noite inteira na balada e voltou breaco da noite anterior. Para evitar a ressaca, ele continuou bebendo esse dia inteiro… Foi foda… Sorte que não tem muito no que bater lá, mas capotar aquele carro, que já era penso para o lado direiro, não custava muito.
Em toda parada o cara ficava dando voltinhas com o carro antes de deixar o pessoal descer! Uma hora, não sei como, perdemos o cara no meio do deserto… Não sei explicar como isso acontece em um lugar todo aberto como esse, mas aconteceu. Rodamos um monte até avistar o carro dele.
Em uma outra parada os dois pegaram o carro e foram para longe de nós ter uma conversa… Sei lá o que pode ter saído dali…

Essa é a evidência da reunião reservada que tiveram!!!!

 

Esse é o carro pendendo para a direita!!!

 

Mesmo assim, o idiota do Javier foi parar em uma ilha que não era a ilha principal do deserto. O próprio Pablo nos disse que não era essa ilha. Mas paramos ali, o manguacero nos apresentou a ilha como se fosse a Ilha do Pescado (acho que é esse o nome da ilha principal que deveríamos estar) e ficou por isso mesmo.
Essa ilha era bem legal. Vi fotos da outra ilha e achei que a única diferença era que na outra ilha havia mais cactos. Mas não acho que deixou muito a desejar em relação a outra… Tinha cada cacto imenso lá…

Repare que eu estou nessa foto acima…

 

Todo o pessoal

O Evandro refletindo sobre a vida!

 

Aí mais uma parada no Salar. Mais muitas fotos de tudo quanto é jeito que se possa imagnar!!! O lugar é mágico!

 

Então a parada no hotel de sal que fica no meio do Salar. Esse hotel está desativado e funciona como museu.

 

Ficamos um tempo lá e saímos já em direção a Uyuni. Pena que isso não durou nem 5 minutos. O nosso caro ficou sem gasolina… Estávamos sem gasolina no meio do nada! Não dava para acreditar… Bom, depois de ficar caçando aquele imbecil no Salar, estranho seria se não acabasse. Imaginar que eles calculavam a gasolina com alguma margem de segurança obviamente é pedir muito.

Lá vão os caras para o hotel de sal ver se arrumavam alguma coisa… Ainda bem que conseguiram…
Olha que habilidade no manuseio de combustíveis!

 

Quando estávamos chegando em Uyuni, veio a pior parte… A entrada da cidade estava completamente bloqueada pelos manifestantes…
Pablo então teve uma ideia genial para furar o bloqueio… Desviar pelo meio do deserto… Essa ideia não durou nem 100 metros. O animal atolou aquele 4X4.

 

Tentou sair em vão. E no meio daquela bagunça, os manifestantes vieram que nem uns loucos para cima do carro atolado e foi uma confusão bem grande… Estávamos cercado por eles e estavam muito putos! Ficaram reclamando, discutindo o que fariam… Que horror… Aquilo sim é uma terra de ninguém.

 

No começo sim, mas depois não me senti ameaçado fisicamente, mas todos estavam bem receosos em relação a nossas coisas…

Uma hora saímos do carro e minutos depois chegou uma galera e invadiu o carro… Ficamos um olhando para a cara do outro… Ferrou tudo!

Eles estavam na verdade putos com o motorista… No meio da conversa vimos uma mulher que resolveu aplicar uma multa neles… Assim do nada ela me veio com um valor… Acho que eram $ 400. Foi ridícula a situação… Aquela mulher não sabia nem fazer conta, mas já de imediato estipulou uma multa… Inacreditável. O Pablo e o Javier ainda ficavam tentando negociar esse valor da multa… Patético.

As mulheres ficavam o tempo todo pondo lenha na fogueira… Os caras tentavam conversar mais na boa com os 2, mas as mulheres tentavam de tudo para piorar a situação de todos.

Bem, no final nos deixaram entrar na cidade a pé com aquela porrada de malas que tínhamos… Nada muito longo o trajeto, mas com aquele monte de mala foi meio chato.

Só depois descobrimos que a manifestação já durava 4 dias e tinham turistas presos naquela cidade há 4 dias…………………………………… 4 dias naquela cidade esquecida por Deus… PQP.

Sem contar que estava tudo fechado lá dentro da cidade por ordem dos manifestantes… E as pousadas lotadas… Chegava gente, mas ninguém saia!

As agências tinham obrigação de nos avisar disso lá em San Pedro… Mas claro que estavam pouco se lixando para nós…
Óbvio que não teria ido sabendo que corria risco de ficar preso lá… Teria acabado com minha viagem isso.

Somente eu, a Débora e o Evandro voltaríamos para San Pedro. O resto do pessoal seguiria viagem de lá. Então a obrigação da Cordillera com eles acabava ali. Conosco era diferente. Então chamaram o dono da Cordillera que foi falar com a gente.
Meu, o cara não tinha quase nenhum dente na boca e demorei um bom tempo para identificar que o idioma que ele falava era o espanhol…
Já vi tudo………..

Bom, o cara explicou que o prefeito ou governador daquele buraco iria lá naquela noite para negociar com os manifestantes, mas que de qualquer forma poderiam tentar sair de madrugada para retornar a San Pedro, mas só saberíamos disso mais a noite. Então lembramos ele que ainda tínhamos mais uma noite e uma refeição inclusa em nosso pacote. O cara pegou um quarto para nós em uma pousadinha e nos deu $ 50,00 para jantarmos. Assim ele quitava suas obrigações.

Fomos jantar então um pouco cedo, pois teríamos que estar de volta no quarto quando ele fosse nos procurar para dizer o que iria rolar.
Esses $ 50 não deram nem para metade da pizza que comemos. Fomos em um restaurante que estava com as portas fechadas e dentro só crianças atendendo… Foi bem estranho!

O engraçado foi que uma menina entrou com um pessoal, viu o cardápio e acabou saindo… Na saída tinha esse quadro:

 

A mina leu em voz alta para o pessoal e soltou uma gargalhada que eu não consegui me segurar e rachei de dar risada!!!!

“Ah, que linda La Paz…. hahahahahahahahahahaha”. E saiu do restaurante!

Foi o ponto alto daquela noite!

Na volta para o hotel vimos o aglomerado de gente na praça da cidade escutando o tal governador…

Mais tarde em nosso quarto o dono da Cordillera foi lá e nos avisou que seria possível retornarmos na manhã seguinte e sairíamos às 3 da manhã… Graças a Deus!!!

No fim, isso tudo acabou sendo benéfico para nós, pois não dormimos naquele abrigo horroroso que ficaríamos e tivemos um chuveiro quente nessa noite.

 

 

 

04/06/2009 – Dia 20 – Salar de Uyuni / San Pedro de Atacama

 

Saímos no horário combinado… Apesar do sono, não consegui pregar o olho na viagem… Estava com um pouco de medo… O caminho era bizarro… Cada vez que cruzávamos um carro era treta… Fiquei com medo de verdade de um assalto ou alguma coisa pior… Ali era terra de ninguém… Lugar sem lei… Para nos pararem naquela estrada e acontecer algo de pior não custava nada…
E ainda uma hora o animal do nosso motorista me para no meio da estrada e desce do carro para dar uma olhadinha no carro, checar os pneus… Que merda…

Bom, depois que o dia clareou eu fiquei mais tranqüilo e o caminho também era bem melhor, apesar de igualmente isolado.

Daí por diante a tranqüilidade da viagem só foi perturbada pelo efeito da higiene gastronômica da Bolivia no meu organismo… Estávamos quase chegando ao local das termas que passamos na ida e lá poderia usar o banheiro… Mas infelizmente não deu!

A Dé acorda e olha para minha cara… Ela já na hora falou para o cara encostar… Acho que eu não conseguia nem falar mais naquela altura…

Bom, desci e sem maiores dificuldades fiz o que tinha que fazer…

Só que aí me passa uma van cheia de tiazinha bem do meu lado… Eu olho e vejo aquele monte de tia nas janelas me olhando naquela situação bem desfavorável………… Hahahahaha!!!!!
É…. É a vida!!!

Bom, seguimos viagem e 20 minutos depois paramos ali nas termas… Claro que as tiazinhas estavam todas lá!!!!!! Já desci e fui cumprimentando todas, pois já éramos bem íntimos aquela altura…

Como eu não era o único a sentir esses efeitos, o pessoal lucrou um bom dinheiro com o banheiro ali.

Só para não passar em branco… Foi o banheiro mais nojento que eu entrei em minha vida… Entrei lá e já queria voltar para a beira da estrada… Com tiazinhas e tudo…

Aquela entrada no parque onde ficam as Lagunas Verde e Branca nos davam um ticket que deveria ser apresentado na volta… Claro que eu perdi o meu e o da Débora… Eu sei que o motorista ficou um bom tempo trocando ideia com o cara que acabou nos deixando passar… Acho que foi mais porque éramos da Cordillera e eles sabiam que nem era responsabilidade nossa pagar essas entradas… Sabiam que já havíamos pago.
Mas foi vacilo meu!

Depois disso acho que foi tranqüilo… Imigração, café da manhã, imigração chilena, revista das malas, Hostal El Monte e cama!