Chapada dos Veadeiros

Vou começar com os posts de viagens pelo fim. Essa foi a última viagem que fiz antes de começar o blog.

Fui para a Chapada dos Veadeiros. Estive lá para o feriado do dia 15 de Novembro. Fui com minha ex mulher e um casal de amigos.

Em Novembro a época de chuvas já começou, e por aqueles lados não tem conversa, é chuva mesmo!

Ela atrapalhou um pouco meus planos, pois não saíamos cedo quando estava chovendo, mas não foi nada demais,

Tem um pessoal que eu estava conversando pelo site do Mochileiros que foi para lá nessa mesma época que saía com chuva e tudo pelo que falaram… Colocavam capa e pé na trilha. Nós preferimos sair depois da chuva nos 2 dias que amanheceram chovendo.

Choveu muito menos do que a previsão estava anunciando, então não se assustem se a previsão quando forem para lá estiver muito feia.

Dia 14/11/2012

Chegamos em Brasília umas 7 da noite. Nossos amigos já haviam chegado uma meia hora antes de nós e agilizaram o aluguel do carro.

Alugamos um carro na Avis e não foi uma boa experiência, mas depois eu conto com calma.

Nesse dia fomos tranquilos para Alto Paraíso de Goiás. Eu levei meu GPS aqui de São Paulo e a estrada nunca estava onde o carro estava! Mas pelo menos ajudou dando uma referência.

A estrada é razoavelmente boa e só piora perto de Alto Paraíso.

Imagem

Imagem

Dia 15/11/2012

Acordamos cedo e estava caindo uma bela chuva. Tomamos café e a chuva não dava nem sinal que iria melhorar.

Tomamos então a decisão mais óbvia para um grupo de sedentários… Fomos dormir!!!

Acordamos já era mais de meio dia e a chuva havia parado. Então saímos para conhecer a Cachoeira do Abismo.

No caminho paramos em São Jorge para almoçar no Restaurante da Nenzinha. Estava boa a comida!

Imagem

Então fomos para a cachoeira. Como já era tarde, não fomos até a Janela para não correr o risco de escurecer antes de voltarmos para o carro, que devido a condição da estrada, não chegou nem na entrada da propriedade onde fica a cachoeira.

Pagamos R$ 10 por cabeça para entrar e fizemos uma trilha tranquila até chegarmos lá.

É um lugar muito bonito! A cachoeira tem o poço escuro, mas não com aspecto de sujo. Mesmo depois da chuvarada a água estava bem bonita.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Lá encontramos um casal um pouco mais velho que disse que já tinha ido a umas 3 cachoeiras aquele dia e a única que não estava turva e agitada por causa da chuva era a do Abismo. Demos sorte então!

Eles também nos falaram de um restaurante chamado Jambalaya que tinham gostado muito, com luz de velas, vinhos…

Quando saímos ainda paramos em uma antena de celulares para tirar umas fotos e depois em São Jorge, para um merecido Açaí

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Bom, nessa noite fomos conhecer o Restaurante Jambalaya. Muito bacana e muito gostoso.

Me pareceu um restaurante que era frequentado pelo pessoal de Brasília que tem casa lá. Não era muito o estilo mochileiros e nem dos caras que vão encontrar os ETs!

Comemos um Filet Mignon espetacular… O meu tinha Queijo Rockford por cima e o das meninas Calda de Jabuticaba. Show!

Comemos bem, tomamos um vinho e fomos dormir bem felizes!!!!

Imagem

Imagem

Dia 16/11/2012

Esse dia amanheceu encoberto, mas logo já abriu o tempo. Então levantamos, tomamos café e pé na estrada para conhecer a Cachoeira Santa Bárbara.

Para chegar lá não é nada fácil. O caminho é bem complicado e tem que meter o carro dentro de rio diversas vezes… Algumas até que não sei como passamos!!! Nesse dia agradeci muito que o carro não era meu!!!!

Para chegar lá são 90 km de Alto Paraíso até Cavalcante e mais uns 30 Km até a cachoeira por essa estrada de terra que vou falar… Destruiu bem o carro.

No caminho fizemos algumas paradas para curtir o visual. É um caminho bonito até chegar em Cavalcante. Tentamos também achar o tal do túnel para Machu Picchu, mas não foi dessa vez…

Imagem

Imagem

Imagem

Já mais perto da entrada da cachoeira se passa por um local onde o pessoal cobra a entrada da cachoeira e te diz que é obrigatório seguir com um guia… Eu não queria seguir com guia, pois já tinha ouvido muita gente falar que lá não é obrigatório, mas como tinha outras 4 pessoas lá para dividir conosco, acabei topando logo.

Fomos então a caminho da cachoeira… Em um dos rios que temos que cruzar de carro, a água chegou a subir pelo para-brisa do carro até o teto e então se fez uma linda cachoeira dentro do nosso carro, do lado do banco do passageiro. Juro, não sei como passamos… Tinha areia desse rio por todo o teto do carro… E água dele por todo o assoalho!!!

Bom, depois de alguns outros mergulhos menos traumáticos com o carro chegamos ao ponto de parada. Lá descobri que a placa da frente de nosso carro ficou em algum dos mergulhos nos rios. Provavelmente nesse pior. Mas não foi só a nossa… Quase todos os carros que chegaram lá perderam as placas! Nós que fomos em 3 carros, 2 ficaram sem placa.

Imagem

Imagem

Imagem

Depois seguimos a pé até chegar na Santa Bárbara. A caminhada é tranquila até a cachoeira.

 

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Essa cachoeira é maravilhosa!!! A água estava verde e bem limpinha, apesar das chuvas dos dias anteriores… Tudo muito bonito!

Imagem

Imagem

Imagem

080 - Chapada dos Veadeiros

074 - Chapada dos Veadeiros

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Depois de tomarmos banho e ficarmos lá curtindo o visual, saímos para conhecer a Cachoeira Capivara. No caminho de volta depois de passar pelo rio piorzinho, descemos do carro e fomos procurar as placas dentro do rio. E não é que achamos as placas dos 2 carros!!! Elas estavam lá no fundo do rio, meio detonadas, mas estavam lá!!!

Quando começamos a caminhada para descer para a Cachoeira Capivara começou a chover bastante. Descemos até a cachoeira, mas ficamos pouco por lá e já logo subimos. Não tirei nenhuma foto, pois como estava chovendo forte, não tive como pegar minha máquina.

De lá fomos para a Cervejaria Aracê que fica em Cavalcante mesmo. Os donos são um casal de chilenos que vieram para o Brasil para conhecer o neto recém-nascido e por aqui ficaram!

Imagem

O lugar é bacana e a comida bem gostosa!!! Comemos um pouco de tudo do cardápio e claro, tomamos a sua cerveja! Não é a cerveja mais gostosa do mundo, mas tá valendo!!!!

Valeu a visita!!!

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Nessa noite eu e a Débora fomos procurar um lugar para comer alguma coisa antes de deitar. Fomos só nós dois pois a Bárbara teve que fazer algumas coisas de trabalho.

Saímos de carro pela cidade e já paramos no primeiro lugar aberto que encontramos. Eu sentei na expectativa de pedir um belo hambúrguer ou algo do gênero. Quando sentamos, olhei para o lado e vi um quadro… Nesse quadro tinha o desenho de uma vaca, uma galinha, um porco e um peixe, com uma frase em baixo de cada um deles do tipo: “Isso não é uma coxinha, é uma vida”.

Tive certeza naquele momento que não comeria um hambúrguer naquela noite………

Acabamos pedindo uma pizza brotinho de queijo cada um para acabarmos logo com aquilo e irmos dormir. O “legal” é que a pizza foi feita em cima de uma massa integral dura que nem pedra. Eu consegui cortar, mas a Débora não estava conseguindo. Uma hora de tanto fazer força, o garfo escorregou e ela arremessou a pizza na minha direção como se fosse uma tacada de hóquei! Não sei como, mas no reflexo consegui “defender” a tacada dela com um tapa na mesa que segurou a pizza por um fio! Quase que ela jogou o jantar dela no meio da rua!!!!!

Falei para ela: Se não está bom, não precisa jogar nos outros a comida, é só deixar no prato!!!

😉

Encontramos na volta a Bárbara e o Fabrício em uma pizzaria muito bacana na frente da nossa pousada… Eles se deram bem melhor nessa noite!

Dia 17/11/2012

O dia amanheceu bonito! Então não tinha desculpa, iriamos cumprir o planejado, conhecer a Cachoeira do Segredo.

Fomos até São Jorge, na esperança de encontrar algum guia na cidade, mas não rolou. Então fomos até a entrada do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros para pegar um guia lá. De lá fomos para a fazenda onde fica a cachoeira com o guia em nosso carro.

A trilha começa por uma parte aberta, mas depois fecha e não ficamos muito expostos ao Sol, mas mesmo assim me queimei bastante… E para piorar fiquei com a marca da mochila no meu corpo…

De fato a caminhada é pesada… Esse negócio de ficar cruzando o rio pra lá e pra cá é muito legal nas 3 primeiras vezes… Depois aquela água e areia ficam represadas dentro dos tênis e incomodam bastante!!!

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

O lugar é muito bonito. É um passeio bem bacana mesmo!!!

 

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Quando finalmente chegamos à cachoeira, nossa, que visão!!! De repente olhamos para o lado e lá estava aquela cachoeira enorme e linda!!! Muito legal esse momento!

Imagem

Imagem

Imagem

Dos 4 só eu fui até a cachoeira, que tinha que nadar um pouquinho… O pessoal preferiu ficar relaxando e comendo um snack que levamos.

Imagem

Imagem

Após um tempo lá decidimos voltar. Iríamos tentar encontrar o Rancho do Waldomiro aberto. O caminho de volta me destruiu… Meu pé ficou estragado e estava com muita dor… Tive que tirar o tênis e acabei concluindo o caminho de meia… Que cena horrorosa!

 

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Fomos então em direção ao Rancho do Waldomiro. Chegamos lá já estava escurecendo, mas demos sorte e eles ainda estavam abertos. Pedimos a Matula e enquanto esperávamos ficamos provando as cachaças e os licores que eles fabricam lá. Tudo muito bom.

Imagem

Imagem

A Matula é um capítulo a parte. Eu estava com muita fome e quando vi aquele prato achei que não iria comer tudo. Vem muita comida! Claro que estava enganado e comi até o último grão de arroz. Delicioso!

Imagem

Dia 18/11/2012

Nosso último dia foi meio devagar. Estávamos muito cansados da Cachoeira do Segredo e o dia estava bem feio. Começou chovendo bastante e depois melhorou, mas o tempo não abriu.

Fomos para o Vale da Lua. O lugar é bonito, mas por conta da chuva o rio estava muito alto e não pudemos entrar na água. É um lugar bacana, diferente, mas acho que existem passeios mais legais que esse por lá. Não achei um dos principais passeios de lá, mas como estávamos muito cansados, foi bom assim.

 

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem Ahhhhh, nu não pode???????????? 😦

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

152 - Chapada dos Veadeiros

De lá passamos no Rancho do Waldomiro para comprar alguns licores e fomos para a pousada fechar as coisas para voltar para Brasília.

Conseguimos ainda encontrar um cara na rua que nos indicou a oficina do primo que poderia nos atender… Nossa, demos muita sorte! No meio de um Domingo de feriado ainda conseguimos uma oficina! O cara colocou nossa placa de volta e deu uma disfarçada no para-lama que tinha danificado em algum dos mergulhos e buracos da viagem para a Santa Bárbara.

Pé na estrada então de volta para Brasília.

Fora um desentendimento na hora de devolver o carro por conta da falta de treinamento dos atendentes, foi tudo tranquilo na volta e chegamos a São Paulo muito bem!

Em relação a gastos foi até que em conta. Gastamos R$ 1.000,00 por pessoa incluindo tudo, inclusive R$ 500,00 que tivemos que pagar a mais por conta de um amassado no para-choque do carro que não teve jeito de arrumar.

E assim foi! Até a próxima ET!

Imagem

Advertisements