África do Sul – Cape Town, Stellenbosch, Cape Point – Parte 2 / 3

Dia 4: Cape Town

Pegamos o ônibus turístico que vai passando pelos principais pontos da cidade e visitamos o Castelo da Boa Esperança, Table Mountain, Camps Bay. Os outros lugares vimos do ônibus mesmo.
O problema desse ônibus é que ele para de funcionar muito cedo, assim como muita coisa por lá. Eles têm horários diferentes de nós. No ônibus isso atrapalhou um pouco, porém para jantar foi uma maravilha! Sempre tinha mesa vaga!.
Recomendo todos os 3 lugares. Fiz os 3 com muita calma e valeu a pena.

 

O Castelo da Boa Esperança é jogo rápido… Anda por lá… Dá umas voltas e já viu tudo.

 

Prefeitura

 

A praia de Camps Bay é muito bonita. Areia branquinha. É uma região nobre de Cape Town. Existem muitos restaurantes, bares, lojas e lanchonetes na beira da praia. Com preços mais salgados.
Até encontramos uma barraca de suco que vendia Açaí por lá!

 

Então a Table Mountain. É certamente o ponto turístico mais conhecido e visitado da cidade.
Nesse dia quase não pude conhecer a montanha. Por causa do vento, o carrinho que leva até o topo da montanha estava parado. Só voltou a funcionar na metade da tarde. Ainda bem!
O “bondinho” tem chão giratório, que faz com que todos dentro possam ver todos os ângulos da subida.

 

Depois foi o visual do ônibus mesmo. Já estava quase na hora do ônibus parar…
O bom foi que o motorista encostava em diversos lugares para fotos.

Valores:

Ônibus turístico – 2 pessoas: R$ 80
Castelo da Boa Esperança – 2 pessoas: R$ 12
Table Mountain – 2 pessoas: R$ 50
Hotel Ritz por 5 noites para 2 pessoas: R$ 680

 

Dia 5: Stellenbosch

Fizemos um passeio pelas vinícolas que incluía 3 vinícolas e degustação de Azeite de Oliva, Queijos, Azeitona e Chocolate.

Fechei esse passeio pela internet, mas agora já não me lembro de qual site. Foi em um dos primeiros que aparece no Google a respeito do assunto. Fechei aqui do Brasil mesmo.

Os lugares eram lindos… Todos muito bem cuidados e tudo mais. Aprendemos muito a respeito dos vinhos nesse dia.
Eu só sei que não era nem meio dia e eu já estava bem louco!!!!
Tinha também um casal de ingleses já de mais idade que fizeram o passeio com a gente… No começo não falavam muito, mas depois eles estavam breacos e não paravam de falar! A mulher ficava trazendo queijo para mim toda hora com um sorriso no rosto do tipo: Olha o que eu descolei!!!!! Hahahaha!!!!
Recomendo bastante o passeio!

 

De noite jantamos no restaurante giratório da cobertura do hotel que estávamos. O Restaurante se chama Top of the Ritz.
O curioso sobre o restaurante é que demoramos uns 2 dias para perceber que o restaurante giratório era no nosso hotel!!!!!!
Quando passeávamos pela cidade passando perto do hotel, sempre falávamos: “Olha que legal… Temos que descobrir onde é para jantarmos lá!!!!”
Quando fomos pedir para reservar uma mesa nessa noite, a mulher da recepção fez uma cara daquelas que não seria possível… Então ela perguntou que horas iríamos querer… Falamos 21 horas… Ela abriu um sorriso e disse: Ah, para esse horário eu tenho!!!
9 da noite para eles é super tarde! Consegue reserva em qualquer lugar!!!!
Considero até um restaurante barato pelo o que ele oferece.

Valores:
Passeio das Vinícolas – 2 pessoas: R$ 370

 

Dia 6: Cape Town

Era para ser o dia do nosso mergulho, mas o tempo mudou e não foi possível sair. Infelizmente não consegui mergulhar na África…
Decidimos então já alugar um carro nesse dia e sair para conhecer Cape Point. Lá é onde fica o Cabo da Boa Esperança e onde antigamente eles consideravam ser a divisão do Oceano Atlântico com o Índico. O atual local oficial dessa divisão não é lá, mas eles ainda mantêm essa fama por marketing!

Se não me engano o local oficial da divisão dos Oceanos é o Cabo das Agulhas, que é o lugar mais ao sul da África do Sul.

Dá só uma olhada nesse cara tirando foto no melhor estilo Jaspion!!!!!!!

Babuíno galopando…

 

Almoçamos no restaurante de lá, o Two Oceans Restaurant. Não é barato, mas vale a pena pela vista e pela comida!

Já achei esse restaurante em lisa de melhores restaurantes do mundo com vista. Realmente o visual dali é bem bacana, mas acho que foi um pouco de boa vontade com eles!
Se não me engano esse dia foi o primeiro dia que comi Avestruz… Comi algumas vezes Avestruz na viagem.
Quando chegou o prato eu olhei com aquela cara de que erraram meu pedido… A carne era vermelha!!!
Não sei se eu que sou muito ignorante, mas imaginei que a carne seria branca, uma vez que é de uma ave, oras………. Mas não era! Era vermelha e deliciosa! Derrete na boca!

Só fiquei com um pouco de dó do bicho quando cruzei um casal com seus 2 filhotes tomando chuva e frio na beira da estrada… Tadinhos!!!!!

 

Na volta paramos na praia dos Pinguins, a Bouders Beach. Pena que o tempo não ajudava. Choveu muito esse dia e acabamos nem entrando na praia. Vimos os pinguins do lado de fora da praia. São muito bonitinhos!

 

Valores:

Entrada Cape Point – 2 pessoas: R$ 30
Trem para subida em Cape Point – 2 pessoas: R$ 20
Aluguel de carro por 4 dias: R$ 215

Anúncios

África do Sul – Hermanus, Cape Town e Stellenbosch – Parte 3 / 3

Dia 7: Hermanus, Cape Town e Stellenbosch

Fomos até uma cidade chamada Hermanus, que fica a 1 hora e meia de viagem de Cape Town. Baleias Jubarte “moram” na costa dessa cidade.
Tudo na cidade é em homenagem às baleias. Devido ao (péssimo) tempo, não vi nenhuma baleia perto da cidade e não estavam saindo barcos para encontrá-las no mar.

Vi fotos absurdas de uma senhora que esteve na cidade no dia anterior… As baleias estavam muito perto da mulher.

Essa minha sorte…………

Mas de qualquer forma foi legal para conhecer a cidade. Bem agradável.

Esse bichinho é parente do Elefante

 

De volta em Cape Town conheci o Jardim Botânico Kirstenbosch. Muito bem cuidado e com muitas árvores e flores.

 

De noite fomos para Stellenbosch jantar em um restaurante dentro de uma vinícola chamado Moyo. Vale muito a pena!
Conhecemos o lugar por conta de um folheto de turismo que pegamos quando alugamos o carro. Perguntamos para as pessoas do lugar e todas falaram maravilhas de lá! E realmente estavam certas!
Eles têm mesas até nas copas das árvores! Muito legal o lugar!

Comi nessa noite uma quantidade digna de um Big Five!

Valores:

Jardim Botânico – 2 pessoas: R$ 20

 

Dia 8: Cape Town

Fizemos um safári em uma dessas imensas fazendas perto de Cape Town. Foi no Inverdoorn Game Reserve. Fica a um pouco mais de 2 horas de Cape Town.
Em uma revista de lá vimos eles anunciando que ficava a 2 horas de Cape Town… Acabamos saindo um pouco tarde, mas estava tranqüilo porque imaginei que tiraria a diferença na estrada…

Eu só não contava que essas duas horas já era para quem quer tirar diferença na estrada!!!

Eu fui muito rápido mesmo na estrada, inclusive na parte de terra, que levantava aquela poeira absurda atrás do carro igual aos rallys no deserto.

Mesmo assim fiz em 2 horas a viagem e quase perdi o passeio… Mais uma vez todos esperando apenas por nós!

Mas dessa vez a culpa foi deles. Alguém que anda no limite de velocidade não faz em menos de duas horas e meia o trajeto sob hipótese alguma.

O único problema foi que perdemos o café da manhã que está incluído. O almoço também está incluído. Muito gostoso.

No Safári vimos diversos animais e apesar do esquema não ser tão “selvagem”, curtimos bastante. O lugar é bem grande e possui muitos animais.

Os felinos não ficam soltos… Uma das principais razões segundo a nossa guia é que eles não poderiam arriscar que os felinos caçassem um búfalo, pois os búfalos custam uma fortuna!

Leão gordo e preguiçoso!!!!

Os Búfalos, que eu ainda não tinha encontrado!

 

Aqui as acomodações do Lodge.

 

Esses eu encontrei no meu safari particular!!!

 

Valor:
Safári para 2 pessoas: R$ 390

 

Dia 9 Cape Town / São Paulo

Retorno para São Paulo.

A locadora que alugamos o carro possuía devolução no aeroporto, o que facilitou muito nossa vida. Não era uma dessas grandes redes de rent a car.

No aeroporto ainda tive tempo de pedir meu reembolso do imposto. A grana no final ficou só como lembrança da África mesmo, porque era muito pouco o que eu tinha para reembolsar e só a taxa para fazer o câmbio para dólares, que já tinha uma taxa que era bem desfavorável, já comia boa parte da grana.

Das coisas que pesquisei antes de ir e não tive oportunidade de fazer foi o “safári no mar” para encontrar os Big 5 do oceano. Esse passeio me fará voltar à África do Sul assim que possível!
Quem tiver oportunidade de fazer, não perca a chance

Vista da janela do quarto do hotel

Estádio da Copa do Mundo ainda no início de sua construção

 

A África do Sul é um país que vale mesmo a visita. Pena que fiquei pouco tempo e ainda dei um pouco de azar do clima, mas deixou uma ótima impressão.

A questão das desigualdades sociais ainda era muito forte por lá. O Apartheid deixou marcas que vão demorar muuuito tempo ainda para serem superadas. Ocasiões que deixam isso bem claro não são nada incomuns.

Sem contar que para escolher presidente esses caras estão pior que a gente… Ou não também… O negócio aqui está feio!!!!!

Mesmo assim, tanto negros como brancos, são muito gente boa. Um povo muito prestativo e alegre. Nesse aspecto realmente superou minhas expectativas!

E é isso!

The End